Reengenharia Humana estamos chegando lá

Standard

Enquanto você pulava o carnaval, algumas notícias interessantes sobre reengenharia humana pipocaram aqui e ali, na internet. Estou chamando de reengenharia humana as novas técnicas e tecnologias capazes de recriar partes do corpo humano em laboratório. Já ouviu este termo antes?

Retina artificial será comercializada na Europa

Argus II, uma retina artificial desenvolvida pelo Lawrence Livermore National Laboratory e comercializada pela Second Sight acaba de receber a autorização para comercialização ao público.

Trata-se de um sistema de retina artificial implantado diretamente sobre a retina do paciente capaz de recompor os sinais nervosos e permitir seu envio ao cérebro via nervo ótico.

 

diag 01R

A versão que recebeu a liberação para comercialização já conta vários sucessos em testes clínicos feitos com pacientes de Retinite pigmentosa. Já está entrando na fase de testes clínicos a Argus III, menor e com mais resolução. A seguir há uma matéria antiga sobre a Argus.

 

 

Reconstruindo a Uretra

Há seis anos atrás, cientistas do Wake Forest Institute for Regenerative Medicine, usaram técnicas de criação de tecido humano para recriar uretras e implantaram estes órgãos em cinco jovens. Esta semana eles declararam que a experiência foi um sucesso.

_51556808_labworkspl Os cinco pacientes escolhidos, meninos mexicanos entre 10 e 14 anos, sofreram danos a uretra e viviam com tubos e vasos para acumulo de urina. Os cientistas usaram um tubo de material biodegradável do tamanho adequado ao paciente, cultivaram as células necessárias em torno deste tubo e implantaram nos pacientes. A esperança era que o material de suporte fosse expelido do organismo e as células construíssem uma estrutura forte o suficiente para substituir as uretras danificadas. Aparentemente deu certo.

Imprimindo um novo Rim

Todas as vezes que leio sobre isso me lembro de um filme da série Jornada nas Estrelas. Nele o Dr. McCoy dá uma pílula para uma paciente em um hospital público. Depois, muito depois, no fundo, se vê a paciente falando com outro médico: Não sei, o dr. me deu uma pílula e nasceu um rim novo. Acho que era isso, se errei o órgão acertei o sentido da coisa. Não estamos muito longe disto.

Nesta apresentação no TED o Cirurgião Antony Atala demonstra os progressos no uso de impressoras em 3D para criar órgãos com reengenharia de tecidos.

 

Criando Neurônios para curar o Alzheimer

Cientistas da escola de medicina da Escola de medicina da Northwestern University, usaram células tronco e da pele para criar neurônios associados com a memória e o aprendizado.

neuronio Trata-se de um primeiro passo no que pode, em médio prazo, ser a cura para o mal de Alzheimer. Os cientistas do projeto fazem questão de ressaltar que trata-se apenas do início de um longo caminho e que ainda não chegaram nem perto de uma cura ou tratamento. Tudo o que eles conseguiram fazer foi criar neurônios em laboratório. Tudo?

 

Criaram neurônios do tipo BFC, que implantados em ratos, aparentemente se comportaram da mesma forma que as células naturais.  Os neurônios do tipo BFC são conhecidas por serem as primeiras células atingidas pelo mal de Alzheimer, o que leva aos sintomas de desorientação e perda de memória.