Pesquisa mostra que ondas ULF podem prever terremotos

Standard

O satélite Demeter observou um gigantesco aumento nas ondas eletromagnéticas de ultra baixa frequência atingindo um pico na data do terremoto que arrasou o Haiti em janeiro.

Em 2004 a agência espacial francesa, Centre National d’Etudes Spatiales, lançou o satélite de pesquisa Demeter que, em órbita a 700km da superfície tem a ingrata função de observar a emissão de ondas ULV em todo o planeta. Esta semana cinco pesquisadores  – M. Athanasiou, G. Anagnostopoulos, A. Iliopoulos, G.Pavlos e K. David  –  divulgaram um paper  (Enhanced ULF radiation observed by DEMETER two months around the strong 2010 Haiti earthquake) apresentando os dados de um aumento de até 360% na emissão de ondas nesta faixa de frequência na época do terremoto do Haiti. Segundo o paper, as emissões começaram a aumentar um mês antes e, após ao terremoto, foi preciso mais um mês para que as emissões voltassem ao nível normal.

“Os resultados mostrados neste paper”, disse  Athanasiou, “são um indicador claro que a observação destas ondas pode ser muito útil como indicativos percursores de terremotos”.

Se assim o for, ou seja, se o paper for comprovado por outros estudos, este sinal ULF seria a ferramenta que todos buscamos para prever terremotos e evacuar a população antes que o mundo lhes caia sobre a cabeça.

Satélite descobre ondas capazes de prever terremotos

Se você tem estômago, o paper pode ser baixado aqui.