O Céu está caindo

Standard

Desde o fim do ano passado diversos objetos atingiram a superfície da terra e foram registrados por testemunhas ao longo do mundo. Aparentemente o galinho Chiken Little tinha razão, o céu está mesmo caindo.

Começando em novembro de 2008 registramos quatro meteoros, um sobre o Canadá, um sobre a Suécia, um sobre o Colorado – Eua e outro sobre Nova Zelândia. Antes que me corrijam eu sei que eles só são meteoros quando estão fora da atmosfera. Quando entram viram meteoritos. E, ao contrário do Dino da Silva Sauro, meu seguro residencial cobre meteoritos.

Todos os dias o planeta é atingido por milhares de meteorito e recebe uma chuva constante de toneladas de poeira. Esses meteoritos são especiais por terem sido gravados, por seu tamanho, e por terem sido registrados no DePijama.

O que eu não registrei aqui, por absoluta falta de tempo, foi o meteorito do Texas.

Atingindo o solo em 15 de fevereiro deste ano, A bola de fogo foi inicialmente atribuida a queda de um satélite e, alguns dias depois, vários astrônomos confirmaram que se tratava de um meteorito cujos fragmentos já foram localizados e recolidos.  O objeto era grande o suficiente para brilhar intensamente no céu azul do Texas em plena luz do dia. Vídeo a seguir.

Um outro menor caiu sobre a Finlândia, mas este último parece que foi tão pequeno que não deixou vestígios.

Aqui acabam as informações confiáveis e começam as especulações.

Um homem no Alabama encontrou uma rocha no seu carro. Que destruiu o parabrisa trazeiro e parte da lataria. Pesando mais de treze quilogramas. O pobre sujeito achou que se tratava de vandalismo puro e simples, mas pensando melhor chegou a conclusão que seria impossível alguém jogar tal rocha e causar tamanho dano. Assim considerou a hipótese de ser um meteorito e resolveu enviar para pesquisa.  Depois de ver essa notícia estampada em vários blogs fui ler com calma a matéria original e há dúvidas se a rocha é um meteoro ou um fragmento de alguma esplosão terrestre. Se souber de algo, por favor me avise.

A lista de acontecimentos suspeitos continua com em almoxarifado em New Jersey, durante um dia de trabalho normal. um pedaço de metal atravessou o teto e arrebentou algumas peças de madeira indo parar, ainda muito quente, no chão a  pouco mais de dois metros de um funcionário.

A rádio especulação reportou desde peça de satélite até pedaço de trem de pouso. Acabou por se tratar de uma peça de uma imensa serra que reduz madeira a pó em uma indústria próxima. A peça arrebentou, voou pelo céu e atingiu o armazem aproximadamente 1km de distância.

Você pensa que acabou?

O Texas é um estado grande e muito movimentado. No dia 26 de Fevereiro uma família retornava para sua casa quando perceberam um buraco no telhado, um buraco na cama de uma das filhas que atravessava o teto da cozinha e uma grande peça de metal no chão da cozinha. Susto, emergencia e os bombeiros determinaram que não havia perigo de radiação. Noata importante: Bombeiros americanos estão capacitados a determinar que não há perigo de radiação.

Para esse caso, ainda não há explicação, apesar de que todos acreditam que deve ter sido alguma coisa mundana e terrestre que explodiu e lançoa peça na casa.

E ficamos assim, o único caso documentado de um metorito que atingiu uma pessoa é o Metoro Hodges que atingiu uma mulher em 1954 e está documentado até na minha amiga Wiki.

Segura esse mouse, não clique em nada, ainda falta o quase.

No dia 2 de março de 2009 um meteoro de 30m de diâmetro passou perto da terra. Na verdade passou entre a terra e a órbita da Lua ou, a pouco mais de duas vezes a distância que os satélites artificiais mais altos costumam ficar. Se a terra fosse do tamanho da sua casa, a Lua estaria a dez casas de distância e esse meteoro teria passado a cinco casas de você. Se o sistema Terra-Lua fosse do tamanho do circulo central de um jogo de dardos essa seria a jogada que você juraria que foi na mosca e seus amigos jurariam que foi fora.

Sorte, pura sorte. o objeto denominado 2009 DD45 foi detectado poucos dias antes de atingir a nossa órbita e se viesse em nossa direção nada poderia ser feito. Com muita competência poderíamos determinar a área de impacto e tentar evacuar o local.

Não seria o fim do planeta nem da humanidade mas seria catastrófico. Supõe-se que o famos meteorito de Tunguska que atingiu uma região desabitada da Sibéria em 1908 e devastou 2150 quilometros quadrados de floresta fosse 6 vezes maior que este então, a grosso modo, estamos falando de uma área de devastada de 300km quadrados, ou de um circulo com raio de 9 quilometros. Agora, coloque a ponta seca na Av. Paulista e veja quantas pessoas teriam que ser evacuadas em dois ou três dias.

Há poucos dias vi um astrofisico dizer que o teste definitivo de uma civilização é sobreviver ao impacto de um cometa ou meteoro. Ao que parece, ainda não estamos preparados para fazer esse teste.