Novo lançamento da Nasa, nova foto extraordinária

Standard

Circulou esse final de semana nos blogs e sites de tecnologia a imagem que ilustra esse artigo. Trata-se do registro fotográfico de um fenômeno bem conhecido e ainda assim muito raro, da formação de nuvens de vapor limitadas em invólucro de baixa pressão causado pelo estrondo supersônico.

A Foto

Efeito de bolha em torno de foguete

O Foguete

Depois de 30 anos a Nasa volta a testar lançadores espaciais classicos e o primeiro lançamento bem suscedido e do foguete Ares I-X no último dia 28 de outubro. Além do blá, blá, blá de sempre a Nasa distribuiu a foto acima, do sacrossanto foguete batendo a barreira do som.

O Efeito.

Trata-se da singularidade de Prandtl–Glauert, coisa muito complicada, baseada em um estudo complexo de mecânica dos fluídos mas que pode ser resumida na afirmativa: Se um objeto voa em velocidades próximas a do som, a diferença de pressão causada pode ser suficiente para causar condensação do ar em uma zona de baixa pressão e baixa temperatura provocada pelo distúrbio causado pelo próprio objeto no ar circundante.

Quebrando a barreira do somEsse efeito é visto com frequência em aviões viajando no limiar da velocidade do som. Como o dessa foto da Wikipédia. Onde, aliás, existe, em inglês uma explicação do efeito.

Se algum de vocês está ávido pela matemática da singularidade de Prandtl–Glauert encontrei esse link, também em inglês. Cuidado! O ministério da saúde adverte, matemática demais pode fazer você ficar inteligente.