Nasa divulga descoberta de novo sistema solar e leva o número de prováveis exoplanetas a 1200

Standard

Em uma conferência de imprensa histórica, hoje, a Nasa divulgou uma enorme massa de dados da Missão Kepler. Levando o número de prováveis planetas fora do sistema solar a mais de 1200 e apresentando o segundo sistema solar conhecido.

A Missão Kepler

Depois de quase 30 anos de pesquisas, a Nasa colocou em órbita o observatório astronômico Kepler. Um telescópio espacial com a missão de olhar fixamente para um setor da Via Láctea e encontrar planetas capazes de sustentar a vida.

LombergA1024th

A missão começou, muito antes do satélite ser lançado, com a publicação de vários papers sobre as tecnologias que poderiam ser utilizadas para a descoberta de novos planetas, o desenvolvimento de novos sensores e o aceite de uma proposta viável de busca, pela Nasa. Um dos objetivos iniciais da missão, observar 13000 estrelas e encontrar pelo menos 50 planetas rochosos do tamanho da Terra habitáveis, ainda não foi atingido. Mas, todos os outros objetivos, referentes aos diversos tipos diferentes de planetas já foram, em muito, superados.

Como encontrar planetas do outro lado da galáxia?

A ideia é até bem simples, usamos esta técnica há anos para fazer fotografias de grande impacto visual, a silhueta. Simplesmente fotografamos um objeto contra uma fonte de luz e vemos a sua sobra. Simples.

O problema começa, quando a fonte de luz é milhões de vezes maior que o objeto e ambos estão a trilhões de quilômetros de distância. Uma tecnologia de dispositivos sensores CCD foi desenvolvida especialmente para detectar pequenas, minúsculas, ínfimas variações na intensidade de luz recebida. Na verdade, ninguém olha para a estrela. Os dados das variações são coletados e, quando existe repetição cíclica, lá pode existir um planeta.

aas2010-1wbLightCurves2-full

Falamos um pouco mais sobre isso aqui, quando foram realizados os primeiros testes com o observatório espacial Kepler.

O novo Sistema Solar

Os dados revelados hoje dizem respeito aos primeiro 4 meses de operação do observatório e representam uma miríade de planetas e sistemas solares encontrados pela observação direta de 156.000 estrelas. Entre eles destaca-se um sistema planetário composto, até agora, de seis planetas. Sendo que dois deles aparentam ser planetas líquidos já chamados de mini-netunos. Este novo sistema solar foi chamado de Kepler-11. A imagem a seguir apresenta uma escala entre Kepler-11 e o nosso próprio sistema solar.

Imagem1 (Custom)

Isto é uma coisa que ainda não está bem definida, não sabemos como classificar os planetas que estão sendo descobertos, alguns se referem a eles com termos comparativos com os planetas do nosso sistema solar então podemos ter super-júpiter, mini-netunos ou super-terras. Astrônomos são gente muito pouco culta, todo mundo sabe que planetas habitáveis são da classe-M. Você pode ver uma comparação destes tamanhos, na imagem a seguir, lembrando que Re significa Raio da Terra.

Imagem2

Outras Terras, Netunos e Júpiteres (???)

Dos 1235 possíveis planetas encontrados 68 são do tamanho da Terra, ou quase, 288 são super-terras, 622 são do tamanho de Netuno e 165 são do tamanho de Júpiter ou maior. O importante é que 54 deles estão nas zonas habitáveis de suas estrelas. Ou seja, na região do espaço, em torno da estrela onde é possível existir vida como as que conhecemos.

Kepler-planet-map

A Wired Science publicou uma entrevista, leitura obrigatória em inglês com Geoff Marcy. “O Cara” quando se trata de exoplanetas. Nela ele avalia as novas descobertas do Kepler.