Microsoft + Yahoo!: Você acredita que acabou?

Standard

Desde sábado último, dia 3 de maio, que a imprensa internacional e os blogs de tecnologia estão dando como favas contadas a compra do Yahoo! pela Microsoft. Todos noticiando o fim da novela que aguçou nossa imaginação nos últimos meses.

No próprio dia 3 o Sr. Ballmer enviou um e-mail para todos os funcionários da Microsoft informando que havia enviado uma carta ao Sr. Yang para a retirada da oferta de compra.  O e-mail por si não acrescenta nada ao processo de negociação. Não passa de um acalento as tropas. Já a carta para o Sr. Yang é um primor comercial.  Eu li e re li a carta e não vi onde a Microsoft diz que desistiu do Yahoo!.


Creative Commons License photo credit: Programmerman

Muito pelo contrário: A carta começa com um histórico da oferta, das intenções da Microsoft, informa que a oferta foi aumentada e nem assim o negócio foi fechado.  Depois passa didaticamente por cada uma dos prós e contras do negócio. Mas em nenhum momento a Microsoft diz que desiste do Yahoo!. Apenas que retira a oferta.

Quase imediatamente o conselho do Yahoo! respondeu, no mesmo tom educado. Re-agrupando a tropa e garantindo que agora que não estão mais debaixo da espada, as coisas vão melhorar ainda mais.

Boa parte da imprensa está achando que essa segunda-feira vai marcar de forma negativa a história das ações do Yahoo!. Os otimistas acreditam que as ações voltam para o patamar que estavam antes da oferta de compra. Os pessimistas preferem nem determinar patamares de queda. Alguns já estão chamando de segunda-feira negra e o mercado nem abriu por lá.  Analistas econômicos de primeira linha acreditam que as ações vão cair sim. Cair rápido e decididamente.

Esse pobre blogueiro aqui concorda com isso. A oferta da Microsoft ficou apenas US$1,00 abaixo do valor que se imagina aceitável pelos principais acionistas.  Vários  dolares abaixo do que o conselho desejava  mas muito próximo do valor de compra hostil.

Se a Microsoft realmente estiver disposta a comprar o Yahoo! e realmente acreditar que essa seja uma boa opção para tomar uma parte do mercado do Google, a hora da tomada hostil está para chegar. Lá pela quarta ou quinta-feira desta semana.  Se o preço das ações caírem como alguns esperam. A compra, parte por parte deve ficar muito mais simples.

A outra coisa interessante para se lembrar é que essa não é a primeira vez que a Microsoft tenta comprar o Yahoo! e recua. No ano de 2007 já havíamos passado por isso, de forma mais rápida e menos intensa. Na época o valor ofertado por ação era maior, apesar do ágio se menor. Um ano depois a oferta foi menor e o ágio maior, sinal claro que a empresa está se desvalorizando no mercado.

Os acionistas do Yahoo! dispõem de um time de analistas capaz de perceber que o Google está mais forte e cada vez mais difícil de ser confrontado. O Yahoo! perdeu o mercado de busca, na hora em que o Google surgiu. Só está no mercado até hoje por que, ao contrário dos outros sites de busca que existiam, já era um portal com centenas de milhões de usuários. Essa base cresceu em um ritmo menor que a internet nos últimos anos. Enquanto o Google expandia seus serviços para rivalizar com o Yahoo! em cada uma das áreas onde esse reinava.

A compra do Yahoo! pela Microsoft não é a melhor opção para esta. Mas pode ser a única opção para o Yahoo!.

O diferencial na Internet não é, e até agora nunca foi a base de assinantes de um determinado serviço. Sempre foi e, creio que o será por muito tempo ainda, a capacidade de inovação das empresas.

Agora, enquanto escrevo, pode estar sendo desenvolvido um novo algoritmo de busca. Um novo serviço de e-mail, um novo serviço de… sei lá algo que ninguém pensou e pronto! Basta que a empresa que desenvolva o serviço não venda e queira dominar o mundo, justamente como o pessoal do Google fez há alguns anos para o panorama do mercado mudar completamente.

Inovação. O Google ainda tem. A Microsoft e o Yahoo! não têm mais.

Quanto a compra, torço para que a coisa não acabe assim.