Standard

O Yahoo! disse não, pelo menos não por US$44,6 Bilhões. Queremos mais. O mundo da tecnologia ficou em suspenso, estático, boquiaberto. Esperando o próximo movimento da gigante de Redmond. Esse movimento veio ontem no formato de um press-release oficial da Microsoft, cujo parágrafo mais interessante eu reproduzo e traduzo a seguir.

The Yahoo! response does not change our belief in the strategic and financial merits of our proposal. As we have said previously, Microsoft reserves the right to pursue all necessary steps to ensure that Yahoo!’s shareholders are provided with the opportunity to realize the value inherent in our proposal.

A resposta do Yahoo! não muda nossa crença nos méritos estratégicos e financeiros de nossa proposta. Como havíamos dito anteriormente, A Microsoft se reserva o direito de tomar todas as atitudes necessárias para garantir que os acionistas do Yahoo! tenham a oportunidade de entender o valor inerente de nossa proposta.

Ou seja, ao que tudo indica a Microsoft vai para a hostilidade total. Vai tentar convencer o maior número de acionistas possível e conseguir que esses forcem o conselho a aceitar a oferta, ou renunciar. Como vimos ontem, esse é uma atitude que já tem suporte de uma parte dos acionistas, mesmo sendo uma parte pequena dos acionistas isso sinaliza uma tendência.

Compre no SubmarinoA discussão agora deixa de ser emocional ou política e passa a ser meramente econômica. A maior parte das ações do Yahoo! estão nas mãos de empresas e fundos de investimento que devem estar adorando o fato que as ações do Yahoo! se valorizaram em mais de 40% nos últimos dias, mas que tem que pensar no futuro deste investimento. Se você quer ver essa distribuição de ações detalhadamente, a melhor página para isso é o próprio Yahoo! Finance.

Salta aos olhos, mesmo para o observador leigo que a quantidade de ações do Sr. Jerry Yang não está disponível e o último relatório de ações data de 2006. Eu não sei esse valor, mas o Sr. Ballmer sabe.

Com quase 52% das ações nas mãos de vinte empresas das quais pelo menos cinco fazem parte do grupo das vinte maiores acionistas da própria Microsoft isso não me parece ser uma tarefa muito difícil.