Microsoft + Yahoo!: A última jogada

Standard

Há alguns dias, o Yahoo! começou um teste em base reduzida para determinar o grau de aumento de faturamento seria obtido com o uso da tecnologia do Google como base para a distribuição de anúncios derivados de buscas. Hoje, convenientemente, o resultado vazou na imprensa.

Sucesso. Em resumo, o que o artigo diz é que segundo os analistas de mercado, o acordo de parceria entre o Google e o Yahoo! poderia aumentar o faturamento do Yahoo! em mais de 1 bilhão de dólares ao ano. Isso graças ao fato que o faturamento por busca do Google é muito maior que o faturamento atual do Yahoo! para a mesma unidade.

Fato indiscutível. Aliás é por isso que o Yahoo! está indo para cucuia, como as pessoas educadas diriam no tempo de meu pai.

O interessante da matéria, não é propriamente o resultado. Resultado esse que não deveria surpreender ninguém. O interessante é o vazamento do resultado.

Trata-se é claro, de mais uma estratégia do conselho do Yahoo! para forçar o aumento da oferta da Microsoft.

A oferta inicial fora de 42 bilhões de dólares. Parte em dinheiro vivo, parte em ações da Microsoft. Como o mercado não gostou muito dessa idéia da Microsoft as ações da Microsoft cairam e o valor total da oferta também. A última vez que vi, essa oferta estava na casa dos 38 Bilhões.

O conselho do Yahoo! já disse com todas as letras que vende, sem dó nem piedade, desde que a Microsoft chegue no valor justo. O conselho da Microsoft já disse com todas as letras que não aumenta a oferta.

O vazamento do resultado desse teste vazado na imprensa serve para pressionar a Microsoft. A lógica é simples: Aí! O problema é o seguinte, se não abrir a mão vou fechar acordo aqui com o Google e a coisa vai ficar feia para o seu lado!

Por outro lado, o conselho manda uma mensagem bem educada para os acionistas: Prezados amigos, por favor fiquem tranquilos, temos como aumentar o nosso faturamento e garantir os rendimentos no final do ano.

Brilhante!

Mas, tem sempre um mas. Pode ser que a coisa não saia exatamente como o esperado.


Creative Commons License photo credit: Programmerman

O Sr. Ballmer não ficou conhecido no mercado por sua cautela e timidez. Eu aposto que a essa hora ele deve estar fazendo o Monkey Boy em cima da mesa dos analistas de mercado. E há uma grande chance de que ele opte por retirar a oferta.

Por outro lado, existem acionistas que devem estar vendo com diconfiança essa parceria com o Google. Não se trata de terceirizar o cafézinho ou a embalagem, ou a distribuição de produtos. Se trata de terceirizar o faturamento da empresa. O coração da coisa.

A parceria indica que usando o Google o Yahoo! fatura mais. Mas também indica que o Google! fatura mais. Então, por que diabos eu vou deixar minha grana na ponta se eu posso ganhar mais na fonte?

A jogada é brilhante, mas arriscada. Se eu tivesse que apostar, apostaria na retirada da Microsoft e na continuidade do Yahoo! sem a parceria com o Google.