Meu nome é Gordon, robô. Controlado por tecido cerebral vivo. Muito Prazer

Standard

Uma equipe de cientistas da universidade de University of Reading liderados pelo prof. Kevin Warwick, trouxeram a vida, literalmente, nessa quarta-feira, 13 de Agosto de 2008, Gordon. Um robô inteiramente controlado por células de cérebro de rato vivas e cultivadas em laboratório.

A experiência pretende determinar os limites da inteligência artificial e a integração de tecido vivo com equipamento eletrônico. Segundo a matéria, nosso novo amigo Gordon possuí um cérebro formado por uma massa cinzenta contendo entre 50.000 e 100.00 neurônios.  Você provávelmente possuí alguma coisa perto de 100 Bilhões. Não espere que Gordon vá jogar xadrex com você.

Talvez o neto dele.

Lendo a matéria com cuidado, só consigo lembrar das olimpíadas. Vejo um bando de cientistas nadando bem na frente da linha da ética.

Link Original