Menino Alemão de 13 anos quer corrigir a Nasa. Droga!

Standard

O menino Nico Marquardt, que certamente não tem trabalho de casa suficiênte nem namorada, refez os cálculos da Nasa e afirma que as chances do asteróide apophis se chocar contra a terra são maiores do que se esperava.

As previsões da Nasa são de que existe 1 chance em 45000 de que o asteróide apophis se choque com a terra lá no ano de 2036. Contudo, a agência espacial européia concorda com o  jovem Nico, e acredita que a chance seja de 1 em 450. Droga!

O jovem Nico, refez os cálculos da Nasa como parte de um projeto de feira de ciência que ele chamou de “Apophis, o asteróide mortal”.

O asteróide apophis foi nomeado em homenagem a um deus egípicio das trevas e do caos, que tem a forma de uma serpete e que, segundo a mitologia egípicia do segundo reinado se opunha a Ra em uma luta sem fim pelo controle do universo.

Não poderiam ter escolhido nome melhor.

Na mitologia apep (apophis é a versão grega desse nome)  é a própria encarnação do mal.

E se esse asteróide se chocar com o planeta veremos a verdadeira definição de caos ao vivo e a cores. Com uma massa aproximada de 2.1e+10 kg a energia liberada no impacto seria alguma coisa perto de 4.0e+02 MT ou o equivalente a, um pouco mais, um pouco menos que 40 bombas de hidrogênio explodindo ao mesmo tempo, ou ainda, se não tiver sido suficiênte para você, o equivalente a 30.000 bombas de hiroshima.

NADA DE PÂNICO! Não é para agora.

A Nasa tem uma escala para medir o grau de dano que um determinado asteróide pode causar e chamada de Potentially Hazardous Asteroids Scale  e que pode ser sumarizada no gráfico a seguir. 

gráfico de frequência, impacto, efeito

Os pontinhos vermelhos, arte minha, mostram a região mais provável onde apophis provavelmente vai aparecer nesse gráfico. Note que ele estar muito próximo do limiar de tamanho onde começam a ocorrer tsunamis, devastação em larga escala e mudanças climáticas. Mas ainda está longe da área de extinção em massa.

NADA DE PÂNICO! AINDA!

O apophis deve passar próximo da Terra em duas ocasiões: em 2029 onde até mesmo um garoto de 13 anos é capaz de concordar, as chances de impacto são mínimas e em 2039 quando as chances são maiores.

Caso o impacto ocorra, provavelmente veremos ondas gigantescas varrendo as costas de todos os continentes, terremotos e explosões vulcânicas por todo o planeta e, depois que o pior passar, teremos uma fina camada de poeira tampando o sol por dois ou três anos.

Obviamente, os efeitos serão diferentes dependendo de onde o asteróide bater. Impacto sobre a água em região profunda deve amenizar os efeitos de terremotos e vulcões e aumentar os efeitos de maremoto e vapor lançados na atmosfera. É claro que a Nasa não consegue dizer exatamente onde o asteróide vai se chocar, mas apresenta um pequeno mapa onde a probabilidade é maior.

regiões onde o risco de impacto é maior

Devemos lembrar que ainda temos 31 anos para resolver nossos problemas de política internacional, começar a ver o planeta como uma unidade e criar um sistema de defesa global que permita explodir esse asteróide e outros como ele, antes que cheguem perto do nosso amado lar.

Agora sim. PÂNICO!

Update: Não, nada de pânico, segundo essa notícia o risco do apophis se chocar contra a terra continua na casa do 1 contra 45000. Aparentemente a notícia sobre o menino alemão é um terrível boato que se espalhou pela internet.

Então organizando: O asteróide existe, tem chances de acertar o planeta de 1 em 45000 ou perto disso, se acertar vai causar maremotos, terremotos, errupções vulcânicas e uma gigantesca núvem de poeira. Mas o menino alemão não corrigiu a nasa em nada.

Ah! Tá! Agora fiquei mais tranqüilo!