Linux evolui por pura sorte

Standard

Eu acompanho as listas que tratam do Kernel com freqüência. Sabe como é, por obrigação profissional você faz qualquer coisa até ler lista de Kernel. Mas confesso essa eu perdi.

Normalmente discordo do Linus. Admiro profundamente sua capacidade técnica e o pouco que conheço de sua vida privada mas, convenhamos quando se trata de dar opinião o Homem é um desastre só. Dessa vez tenho que admitir. O cara foi direto no ponto e deixou poucos argumentos para discussão.

A seguir está a transcrição de um trecho de uma mensagem dele.

Ei! Não é uma falha é uma FUNCIONALIDADE!
Sabe quel é a obra de engenharima mais complexa do sistema solar conhecida até o momento?
Adivinhe – não é o Linux, no é o Solaris e não é o Automóvel.

É você e Eu.

Pensa como você e eu aparecemos – não foi graças a nenhum projeto completo.

Correto. “pura sorte”.
Bom, pura sorte e

– Disponibilidade livre e _polinização curzada_ e através do compartilhamentos do “codigo fonte”, mesmo que os biólogos o chamem de DNA.

– Um ambiente de usuário realmente implacável que felizmente substitui versões defeituosas de nós mesmos com versões funcionais melhores e assim controla a manada (os biólogos chamam isso de “sobrevivência dos mais apto”)

– desenvolvimento massivo e não dirigido em paralelo (“tentativa e erro”)

Estou falando muito sério, nós os humanos _nunca_ conseguimos replicar alguma coisa mais complicada que nós mesmos, ainda que a seleção natural o tenha feito sem sequer pensar sobre o assunto.

Não substime a sobrevivência do mais apto.

E jámais cometas o erro de crer que pode projetar algo melhor do que o que obteria se fizer tentativas e erros em paralelo, sem piedade, massivamente e com um ciclo de realimentação.

Isto seria dar a sua inteligência crédito em demasia.

Francamente, a Sun, está condenada e isto não tem nada a ver com suas praticas técnicas ou seu estilo de código.

Quase poético. Fico até em dúvidas se foi ele mesmo quem escreveu isto. Provávelmente foi o espírito de Natal.

É claro que poderíamos argumentar que essa mesma “sobrevivência do mais apto”, levou a instinção espécies que ficaram por aqui umas 20 vezes mais tempo que nós, fazendo o “projeto original” ir para o limbo mas, também em nome do espirito de Natal, fico por aqui mesmo e os deixo com as sábias palavras do Homem.

Notícia Original