Japão: Aparentemente o pior está acontecendo no Japão

Standard

img_606X341_2603-japan-nuclear-Green-Peace 

1823001 No auge da crise nuclear Japonesa, depois de ler uma dúzia ou duas de artigos de especialistas, resolvi escrever um artigo comentando meus achados e apresentando minha humilde opinião.

Chamara minha atenção uma declaração da Sra. Clinton sobre o envio de líquido refrigerante para o Japão. Conjecturei o pior, infelizmente, aparentemente é o que está acontecendo.

Hoje pela manhã assisti na tv uma entrevista coletiva do pessoal da empresa responsável pelos reatores informando que 4 deles jamais poderão ser recuperados. Exatamente o que euzinho, aqui do meu cantinho, temia.

Já tínhamos notícia da água contaminada com césio e iodo, agora começam a surgir notícias de água contaminada com plutônio.

Infelizmente parece que estamos caminhado para o pior cenário. Culpa de quem? Do maremoto?

O cara DePijama acha que a culpa é do governo. Assim no Japão, como aqui, o governo é responsável por fiscalizar estas coisas e garantir a integridade da população. Eles são eleitos e pagos para isso.

A pretensão dos engenheiros desta empresa, e a incompetência dos fiscais do governo, permitiu que o sistema de refrigeração da usina fosse projetado de forma estúpida e incoerente. Eu, você, o mundo, soube disso agora, depois do maremoto. Mas, o governo Japonês tinha a obrigação de saber disto antes. Eles são pagos para isso, com os impostos dos que estão morrendo agora e dos que vão morrer nos próximos anos. Vidas poderiam ter sido salvas se todas as possibilidades fossem investigadas.

Mais que isso, vidas poderiam ter sido salvas não fosse a pretensão, e orgulho, dos engenheiros, cientistas e governantes japoneses. Tanto a Rússia quanto os EUA dispõem de tecnologia para remediar um crise nuclear envolvendo possível derretimento do núcleo e vazamento de plutônio. Estou, é claro, sentadinho na minha cadeira, imaginando o pior. Que este plutônio vazou e já atingiu ou, inevitavelmente atingirá o lençol freático.

A energia nuclear é a forma de produção de energia mais monitorada do planeta. Existem centenas de sistemas redundantes, regras de segurança, e estruturas especialmente criadas para garantir que algo assim não ocorra. O problema é que faça o que fizer, projete o que projetar. Use a tecnologia que usar. Todo o sistema de segurança acabará, mais cedo ou mais tarde na mão de Homer Simpson.  Um ser humano, como eu e você, de inteligência limitada, dotado de emoções, frustrações, problemas familiares, pessoais, econômicos e éticos.

Todas as vezes que escrevo sobre isso me lembro das usinas de Angra. Aqui, o governo tem que fiscalizar a si mesmo. Quantos Homers você acha que existem entre o operador de segurança da usina e a Sra. Presidenta da República. Basta um para que as duas maiores populações do país sejam comprometidas. Sem plano de evacuação, sem estradas adequadas e sem considerar a possiblidade de um maremoto, ou outros eventos naturais ou não, as autoridades brasileiras, os especialistas em energia nuclear e você estão apostando a vida de milhões de cariocas e paulistanos contra a ética do Homer.

 

HomerSimpson36

 

O Brasil não precisa da energia nuclear.