Já comprou na Internet no Brasil? Então boa sorte!

Standard

Inacreditável o que ainda acontece em nossas terras tupiniquins. Alguns dias antes do Dia das Mães, resolvi comprar uma máquina de fazer pão para nossa casa. Não era um presente para minha esposa, apenas uma coisa que estávamos querendo há muito tempo. E resolvemos aproveitar as promoções de Dia das Mães para comprar. Esse não é um artigo técnico, nem administrativo. Não vou discutir métodos processos ou tecnologias, vou apenas contar a minha saga.

Fiz uma pesquisa na internet, encontrei o produto, o preço desejado. Selecionei uma loja de nome e desde então estou vivendo um inferno dentro da minha própria casa.

Antes de entrar nos detalhes dessa compra, vou contar uma pequena história de outra experiência de compra pela Internet. Só para termos um comparativo.

Em de 1999, comprei um livro pela internet na Amazon.com. Como haviam preços diferenciados para prazos de entrega escolhi o mais barato, cuja entrega levaria entre 15 e 30 dias e seria feita pelo correio. Depois do fim do prazo, sem receber o produto, escrevi um e-mail para eles com meu Inglês macarrônico. Já achando que tinha dançado. Uma hora depois (sem brincadeira, foi uma hora mesmo.), recebi um e-mail de um funcionário da Amazon, informando que eles estavam tendo muitos problemas com o correio no Brasil e que eles enviariam outro livro imediatamente.

Meu primeiro pensamento foi:Pronto! Dancei! Agora esses caras vão me deixar esperando para sempre e lá se foi minha grana… agora só reclamando com o Bispo.

Dois dias depois bate na minha porta um funcionário da Fedex com o meu livro. Achei incrível, finalmente meu pedido tinha chegado com apenas dois dias de atraso, e eu me preocupando … Carioca é assim mesmo desconfia de tudo.

Uma semana depois.. bate o correio lá em casa com um outro livro. Foi só quando vi o outro livro que me toquei do que tinha acontecido. Mediante minha reclamação a Amazon mandou outro livro, pelo método de entrega mais rápido e mais caro que eles tinham.

Peguei o livro extra e mandei de volta, me custou na época coisa de U$20,00 (ressalto que isso era uma fortuna na época) mas fiquei com consciência limpa, o coração em festa e a alma à gargalhar. Dois dias depois, bate outro funcionário da Fedex com dois livros de brinde e uma carta de agradecimento. Em português!. Vou escrever de novo, carta de agradecimento em português!

Não precisa nem dizer que nunca mais comprei nada importado sem consultar a Amazon primeiro e que sempre que posso recomendo a compra lá. Comprem na Amazon!

Agora vamos voltar ao caso Brasileiro.

Escolhi o Ponto-Frio, afinal é uma empresa grande, com tradição e, melhor de tudo, estava com um preço ótimo. Verdade seja dita, já havia comprado com o Ponto-Frio antes em duas ocasiões sem problemas. Mas, nessas ocasiões, comprei para terceiros, sem me preocupar com os prazos de entrega e, principalmente sem controle.

Fizemos a compra via internet, escolhemos pagar com boleto bancário. Recebemos um e-mail informando os prazos e as condições de entrega etc.. etc.. e principalmente, informando que o processo de entrega só poderia ser iniciado depois que o boleto bancário fosse compensado. Até ai, tudo bem! Ninguém espera que a entrega seja executada antes do pagamento.

Um dia ou dois depois recebemos outro e-mail, informando que o pagamento havia sido realizado com sucesso e que a entrega se daria em um prazo médio de 4 dias úteis.

Até agora nada!. Segundo o próprio site deles, o pedido saiu para a transportadora (assim mesmo genérico, a transportadora) no dia 11 de maio de 2007 hoje já é dia 22 de maio de 2007.

Tentei atendimento pela internet, no dia em que o prazo de 4 dias úteis encerrou. Primeiro via internet.

Senhores do Ponto-Frio, o atendimento via chat de vocês é um lixo!!! Não funciona direito no Firefox, o script de atualização de fila é um horror e fila de espera para ser atendido no chat é o fim da picada.

Tentei atendimento via o 0800 deles.

O primeiro atendente disse que o produto seria entregue ainda naquele dia até as 22:00. Não foi!
O segundo disse que a reclamação seria encaminhada para a supervisão e que alguém entraria em contato conosco urgentemente.Ninguém entrou em contato!
O terceiro disse que a reclamação já havia sido anotada e nos tranferiu para um gravação de um número de telefone, sem explicar que número era aquele. Imaginei que fosse o número da casa da mãe dela!
O quarto disse que já havia sido enviado um e-mail para a transportadora e que eles tinham 10 dias úteis para responder. Esse foi o momento em que fiquei mais preocupado. O último e-mail que passei que levou 10 dias para ser respondido foi para o Nepal. Será que a “transportadora” é lá?
O quinto explicou que se quisermos nosso dinheiro de volta, temos que esperar a entrega do produto, não receber e, quando a nota voltar a sede do Ponto-Frio, “alguém” vai entrar em contato para tratar do reembolso. Nesse rítmo, com e-mails de dez dias, eles devem entrar em contato em 2008!

Me sobram três opções.
1. Esperar com um sorriso no rosto que a “transportadora” entregue. Sem sair de casa é claro.
2. Cancelar a compra e esperar a boa vontade de alguém para receber meu dinheiro de volta.
3. Reclamar até não poder mais.

Escolhi a terceira. Todos os dias vou ligar para o telemarketing deles e reclamar duas vezes por dia no mínimo. Com sorte, vou manter as linhas ocupadas e fazer mais um ou dois consumidores insatisfeitos.

O melhor disso tudo foi descobrir que não existe ligação entre o sistema de logística da “transportadora” e o sistema de logística do Ponto-Frio. Ou seja, caiu na “transportadora” vai para o domínio de Deus. Só Deus sabe!
No último curso de marketing que fiz, ainda no século passado, o professor disse que existiam estatísticas que provavam que um comprador satisfeito falava sobre isso com outros dois compradores. O comprador insatisfeito falava sobre isso com outros onze compradores. Em tempos de internet estou falando com 650 que é mais ou menos o número de pessoas que lêem esse bolg todos os dias. Em três continentes (nem eu acredito, mas tenho alguns leitores no Japão! Valeu pessoal obrigado!)

Entendo um pouco de tecnologia e tenho certeza que o problema não é tecnológico ou logístico.

É apenas mais um sintoma do mesmo problema que leva deputados e/ou autoridades diversas a roubar independente da cor, partido político ou sexo. O mesmo problema que leva alguns a andar pelo acostamento nos engarrafamentos nas estradas. O mesmo problema que leva as autoridade a sinalizar onde estão os radares de trânsito O mesmo problema que leva um dos meus vizinhos a parar o carro bem na frente do portão da garagem para tirar as bolsas do carro. O mesmo problema que faz com que as pessoas parem para conversar bem na entrada dos bancos. O mesmo problema que faz com que professores sejam agredidos por alunos. Tudo isso, inclusive o péssimo atendimento do Ponto-Frio são sintomas do mesmo problema. O total desrespeito ao semelhante.

Só para exemplificar, já comprei no submarino e recebi antes do prazo, mesmo tendo comprado em cima da hora, na semana do dia das crianças, o presente chegou antes da data marcada e antes do dia das crianças.

Pronto! Já fiz uso do meu direito como consumidor. O direito de reclamar, mesmo que seja com o Bispo.

Quanto ao problema nacional de desrespeito ao semelhante não há muito que eu possa fazer além de me policiar e tentar não cair em tentação. Mas se tiver que comprar novamente na internet, compro no submarino

E você o que vai fazer agora?

Em tempo. Enquanto escrevia esse artigo recebi um link interessante que divulgo aqui. Reclame Aqui!

10 thoughts on “Já comprou na Internet no Brasil? Então boa sorte!

  1. Respeito ao consumidor é coisa de país desenvolvido. Moro nos EUA e o único caso de spam sem solução envolvendo um endereço de e-mail que tenho e empresa conhecida vem do Ponto Frio. Já pedi que retirassem meu e-mail da lista deles, já me responderam que iriam tirar, mas até agora nada. O link no final do e-mail deles, que sugere ser fácil cair fora da lista, não funciona. Se uma empresa daqui agisse desta forma teria uma penca de processos para responder, multas e indenizações para pagar. Fui ao site do Procom de S. Paulo e só existe contato para informação (através do qual fui “informado” de que o nome de tal desrespeito é “spam”…), não existe forma de se reclamar online. Fui ao link do reclameaqui.net e me pedem para colocar endereço, telefone, identidade, etc. sem que haja qualquer informação sobre como esta informação (não) será usada por terceiros. Resumindo, se empresas grandes e conhecidas podem fazer o que bem entendem com o consumidor, que mensagem isto passa para as pequenas? Afinal, existe defesa do consumidor no Brasil? Onde? A lei, eu sei que existe, mas para variar, não há como cumpri-la…

  2. Frank Coelho de Alcantara

    Cada dia que passa me aborreço mais com eles… ontem ligaram dizendo que iriam entregar hoje as 11:00 nesse horário recebemos um e-mail de desculpas do sac dizendo que temos que continuar esperando… Ou seja, nenhum respeito, nem o mínimo, nada…

  3. Gabriel

    Eu estou tendo um problema sério com a Amazon.com. Comprei um livro médico com eles dia 20 de Maio. Não recebi o livro dentro do prazo estipulado. Entrei em contato com eles e ate hoje nao recebi o livro.
    Não sei mais o que fazer, eu gasto uma grana com as ligações internacionais e eles nunca conseguem me responder claramente e nem fornecer um tracking number para rastrear o livro. Alguem sabe o q fazer numa situação dessas??
    Obrigado

  4. Frank Coelho de Alcantara

    Oi Gabriel, infelizmente não sei como ajudar, todos os meus contatos com a Amazon sempre foram por e-mail e nunca, tive problema algum, nada, nem um atraso. Muito pelo contrário sempre me trataram muito bem.

    Seu problema é completamente novo para mim, mas acho que se eu estivesse em seu lugar procuraria o http://www.ftc.gov/bcp/consumer.shtm há muito tempo, no começo dessa tal de internet, tive um problema com uma loja americana, dessas que vendiam por catálogo e resolvi com uma carta para eles.

    Nunca tentei nada com eles online, mas é o caminho que me ocorre agora. Espero que ajude.

  5. Leslei

    Oi, estou querendo comprar um item do Amazon.com, e procurando
    na internet como é o funcionamento de entregas internacionais,
    achei esse blog. Gostei bastante do post, só tenho uma duvida,
    qual metodo de pagamento utilizado pelo Amazon.com? Tem que ser
    cartao internacional?

    Obrigado

    -Leslei

  6. Frank Coelho de Alcantara

    Oi Leslei, obrigado pelo comentário, sim a última vez que comprei lá eles só aceitavam cartões de Crédito internacional.

  7. Frank Coelho de Alcantara

    Nada. você só paga o imposto na retirada se o valor for acima de Us$50,00, se não me falha a memória.

Comments are closed.