Contrariando as expectativas geradas pela própria empresa, a Microsoft declara que as vendas do Windows Vista dispararam.

Não quero ser paranóico, mas até uma semana atrás, todas as notícias que lia sobre o Vista, davam conta de uma taxa de penetração e aceitação muito lenta para o mercado da Microsoft. Então… uma pequena pesquisa na internet apresenta resultados ainda mais estranhos. Em 2001, durante o lançamento do XP tivemos a mesma controvérsia lá naquele tempo, os números já eram assustadoramente controversos. Analistas reportavam aproximadamente 650.000 cópias vendidas do XP contra 850.000 cópias vendidas do Windows 98, no mesmo período. Esse mesmo artigo de 2001 já cita as contas de licenciamento da Microsoft apresentando o modesto número de 7 Milhões de cópias e licenças de Windows XP vendidas para O&M e revendedores.

Voltando ao declaração atual. Vemos a discrepância, os dados apresentados agora mostram uma venda de 20 Milhões de cópias do Vista nos dois primeiros meses de lançamento, contra 15 Milhões de cópias do XP, no mesmo período.

Não tenho nenhuma intenção de criar uma atmosfera de desinformação, mas a mesma empresa de notícas que noticiou as vendas do Vista também noticiou os problemas enfrentados pelo XP.

O que gostaria de destacar é que esse números não representam nada mais que um grupo de gestores, tentando traduzir de forma palatável, a complexa realidade do mercado de vendas de software. Sem muito sucesso e trocando pés e mãos.

Na verdade, o que importa é que esse mês teremos uma nova versão do Ubuntu. Que, como outros sistemas operacionais baseados no GNU/Linux, está transformando esse mercado de sistemas operacionais em um mercado de comódities. Onde o sistema operacional não é a prima dona do mercado de tecnologia.

Não é segredo que as metodologias de desenvolvimento ágil estão cada dia mais populares. Também não é segredo que adotar uma metodologia de desenvolvimento qualquer implica em gastos com treinamentos, documentação de processos e eventualmente com falhas em projetos. Logo, uma decisão desse porte tem que ser pensada, avaliada, discutida e testada antes de ser implementada. Afinal, qualquer erro será culpa única e exclusiva dos gestores do departamento de informática.

Patterns of  Agile Practive Adoption  é um livro gratuíto que tenta espantar alguns dos fantasmas que pairam sobre os departamentos de TI. O Livro é gratuíto, mas infelizmente é necessário ser registrado no site.

Li os dois primeiros capítulos hoje de madrugada, ainda estou nos blá blá blás das vantagens, negócios etc.. mas o livro parece excelente para quem quer entender essas metodologias. Principalmente para entender por que elas estão tão populares.

Sou adepto do software livre, sempre que posso uso, defendo e produzo software livre. Mas nem sempre isso é possível. A maioria dos meus clientes ainda vive no mundo proprietário. Nem por isso eu perco uma boa oportunidade.

Esse site criou uma nova forma de divulgação de software. Todos os dias, durante 24hs você pode baixar e instalar um software diferente. A maioria não serve para nada, mas dia sim dia não você encontra algo que vale a pena. Recentemente encontrei um software para sicronização de diretórios via ftp que está economizando algumas horas de desenvolvimento todos os dias.

E o melhor de tudo é que os softwares instalados, pelo menos até agora, não estão cheios de anúncios, trojans e coisas indesejáveis do tipo.

Boa sorte!

O site está pronto! bonito! funcionando! Tudo que a sua empresa precisa agora é que as pessoas venham até o seu site e comprem seus produtos e serviços. Normalmente, é nessa hora que a vaca vai pro brejo.

Muito se fala da internet e da revolução tecnológica que ela provocou, mas eu nunca li em nenhum artigo sobre marketing na internet a mais simples verdades de todas sobre essa mídia:

Desde o começo da história a internet é a primeira mídia onde o público alvo tem que ir até o anúncio. Na mídias tradicionais o anúncio nos pega de surpresa, na rua, no radio, na tv, no jornal etc.. O pobre do consumidor está ali desprevenido e de repente bam! Toma um anúncio na lata.

Por Search Engine People Blog

Tanto isso é verdade que uma das melhores estratégias de marketing na internet ainda é distribuir banners em sites específicos com a esperança que a audiência do site esteja interessada e clique. Essa estratégia demanda investimento. Coisa que a maioria das pequenas e médias empresas brasileiras só ouviu falar nas palestras e revistas.

Por outro lado, mais de 80% dos acessos em um site médio derivam de sites de busca. Google, Yahoo! Etc. Então que tal otimizar o seu site para que ele seja compatível com os algoritmos de busca dos sites de busca. Uma otimização simples pode aumentar muito o seu rank nesses sites e fazer com que seu site apareça na primeira página do google, por exemplo. Seo, o nome desta técnica, em inglês é Seo ou Search Engine Optimization. Não é simples, e ao contrário do que dizem por ai, requer prática, habilidade e tempo, muito tempo.

Este artigo discute o básico do básico da otimização de sites para que estes apareçam bem em sites de busca. Trata-se de uma lista de 11 pequenas providências que qualquer empresa pode tomar e que certamente irá melhorar sua presença nos sites de busca.

  1. Comece certo, antes de começar o site pense nos sites de busca e como eles irão encontrar seu site.
  2. Contrate uma datilógrafa. Sites de busca não indexam o conteúdo das imagens nem animações em flash. Sabe aquela animação linda, com todos os nomes dos seus produtos brilhando e voando de um lado para outro. Não serve para nada. É claro que, se além do flash seu site tiver o conteúdo correto no bom e velho texto, as animações por si só não criarão nenhum problema, o que cria problema é a falta delas. Faça um teste digite: design de sites web no goolge. E veja quantas empresas que realmente vendem design de sites aparecem. No meu google apareceram 2 entre os 30 primeiros resultados, nenhuma na primeira página.
  3. Tente colocar o maior número possível de palavras chaves nos seus textos. Por exemplo, eu gostaria muito que esse blog fosse referência em tecnologia e governança em ti. Assim, em vários textos eu tenho as expressões tecnologia e governança em TI. Dessa
    forma, se alguém procurar por tecnologia ou governança em TI pode ser que o blog Tecnologia e governança em TI apareça. Entendeu? Brincadeira. Não faça como eu fiz, os algoritmos de busca tem sistemas para detectar a densidade das palavras mais importantes da página. Então em um parágrafo curto como esse essa concentração dos termos do blog não ajuda em nada. As melhores palavras chaves são aquelas que são digitadas com freqüência nos sites de busca e que não são utilizadas por seus competidores.
  4. Pesquise seus competidores. E as palavras chaves que eles estão usando. Use o google trends para isso, é gratuito e útil. Por exemplo tente cabras,vacas,porcas como argumento de pesquisa. E observe que só a partir de 2006 pessoas tem procurado por porcas no google. Fico imaginando o que será que aconteceu para provocar esse súbito interesse por porcas. Eu não sei o que foi, mas foi em Portugal.
  5. Nome do seu domínio. Se você tem um site chamado vendocabras.com.br e alguém digita as palavras vendo e cabras em um site de busca existe uma grande chance do seu site ser o primeiro a ser listado. Mas observe que quem digita vendo cabras dificilmente está interessado em um site que vende cabras.
  6. URL. A url é importante para que os seus possíveis clientes lembrem de onde seu site está. Uma url do tipo http://qualquercoisa.com.br/kdffgeuww_dulesa?56dpaphp1, não representa nada para mim e nem para os algoritmos dos sites de busca, Por outro lado existe uma grande chance que http://www.qualquercoisa.com.br/televisores/sharp tenha um rank elevado em resposta a uma busca por televisores.
  7. Otimize seus meta tags. Alguns search engines ainda usam meta tags com um peso elevado na classificação da sua página. Tenha certeza que todas as páginas do seu site possuem pelo menos as quatro principais: robots, content type, keywords e description.
  8. Use as tags html alt e title para todas as imagens e animações, essa é uma forma elegante de colocar conteúdo no seu site, e usar as imagens e animações a seu favor.Crie uma página só com o mapa do seu site. Além de facilitar a vida dos algoritmos de busca, Esse mapa tem um peso muito grande nos algoritmos de classificação do google. Em um outro artigo, quando acabar a série sobre governança em TI (olha eu ai de novo!!:) ) vamos estudar esse algoritmo do google.
  9. Conteúdo. Todas as outras 9 dicas são inúteis se seu site não tiver conteúdo. Existem muito poucas pessoas por ai procurando nescau. Contudo existem milhares procurando por receita de brigadeiro. Então, se você quiser vender nescau, faça um site sobre receitas de bolos e brigadeiros e inclua nescau nas suas receitas.
  10. Contrate um profissional. Se seu site já está no ar, começou errado. Antes de qualquer coisa, o site tem que ser pensado por alguém que entenda de optimização de busca. Se não, corre o risco de ficar muito bonito, animado e nem seus funcionários visitarem o seu site.

Mesmo que tenha começado errado e nunca tenha pensado nisso. Contrate um profissional. Na internete tudo muda o tempo todo no mundo…. iiiii! me perdi de novo.

Se você quer um blog otimizado e com todas as ferramentas necessárias para ganhar dinheiro online clique aqui.

O COBIT (Control Objetives for Information and related Tecnology) é um guia recomendado pelo ISACF (Information Systems Audit and Control Fundation) cujo objetivo é ajudar as empresas a controlar e avaliar seus departamentos de tecnologia da informação.

A amável leitora provavelmente lembra das falcatruas cometidas nas contabilidades de algumas grandes empresas americanas lá nos idos de 2001. Não lembra? Então clique aqui e veja uma matéria sobre um dos casos só para refrescar a memória.

Pois bem, além de provocar uma onda de prejuízos para os acionistas estes escândalos provocaram também uma explosão de novos projetos de leis tramitando no congresso americano que resultaram na promulgação da lei Sarbanes-Oxley pelos senadores Paul Sarbanes e Michael Ox. Conhecida popularmente com SOX law ou apenas SOX. Mais americana impossível. Um é democrata o outro republicano.

Simplificando: A SOX tem a nobre intenção de garantir a transparência na gestão financeira das empresas e todas as empresas de capital aberto nos EUA estão subordinados a essa legislação. A lei estipula que os gestores executivos das empresas de capital aberto americano são responsáveis por estabelecer e manter uma estrutura de controle interno e procedimentos adequados para fornecimento de relatórios financeiros. E que deve relatar a efetividade das estruturas de controle e procedimentos. Ou seja, a lei obriga as empresas de capital aberto a possuírem estruturas de controle e que a eficiência dessas estruturas deve ser relatada.

Alguém ai acha que existe alguma empresa de capital aberto, americana ou não, que tenha estruturas de controle interno que não sejam informatizadas? Não? Todos Concordam? É por isso que o controle do departamento de TI se tornou o ponto focal de muitas monografias sobre administração de empresas.

Só um parêntese. Não sei se na equipe dos senadores existia algum webmaster ou se foi mera coincidência. Mas a seção da lei que afeta diretamente os departamentos de TI é a 404. Eventualmente você verá referências a essa lei como SOX 404.

Mas a história não acaba ai! Calma…

Obviamente existem vários comitês, instituições e agrupamentos de pessoas e empresas cujo objetivo único e exclusivo é criar protocolos métodos e processos para fiscalizar, controlar e auditar as empresas de capital aberto. Tudo isso por que, lá como aqui, os acionistas têm o péssimo hábito de querer saber o que é feito com o dinheiro deles. Entre esses órgãos todos se destaca o COSO (Committee of Sponsoring Organizations). Cuja função é ajudar a detecção de fraudes em relatórios financeiros. Devido a sua abrangência, aceitação e popularidade, o COSO está se tornando o padrão de fato para a análise de relatórios financeiros. O que em última análise quer dizer que os relatórios financeiros da empresa devem ser compatíveis com o COSO. E daí? Pergunta a impaciente leitora.

Daí que em 1996 já existia um tal de COBIT, para controle de departamentos de TI que, não coincidentemente tem um algo grau de compatibilidade e aderência aos protocolos COSO. Bingo!!!

Então resumindo. Departamento de TI é fundamental. Administradores podem roubar. Acionistas querem controle. Governo cria leis. Institutos de auditoria impõem padrões. Departamento de TI tem que mudar. Entendeu?

Dois pontos mais:

Isso tudo só é obrigatório para as empresas americanas e para empresas que querem ter seu capital aberto nas bolsas de lá. Todo esse processo vai gerar um custo enorme que será tema de outro artigo aqui, mas fora dessa série.

Mesmo sendo não sendo obrigatório aqui. É inegável a necessidade de controle sobre os departamentos de TI e o efeito colateral desse processo todo é um departamento de TI mais efetivo e menos oneroso. Não conheço empresa que não queira controlar custos. De qualquer forma, existe uma resolução do Banco Central no mesmo espírito da lei sox a res. 3081.

Próximo passo: Cobit: Dividir para conquistar.

Que tal se seu computador soubesse que você está se afastando e bloqueasse o acesso ao tecaldo e tela automáticamente e. quando você estivesse de volta ele liberasse o uso. Nada de 1 minuto de folga ou coisa parecida. Automaticamente. Unicamente relacionado a sua distância da máquina.

Essa tecnologia está mais perto do que parece. David Hollington usando a tecnologia bluetooth e o apple actionscript e o aplicativo proximity, criou um pequeno script que faz justamente isso. Na verdade ele fez um pouco mais. Ele também ensinou como se faz isso.

Os usuários Windows não foram esquecidos: Dorpcloth

Pronto é definitivo. Chegamos ao fundo do poço! Yuuguu??? Isso lá é nome de aplicativo?

Yuuguu é o mais jovem competidor na área de compartilhamento de desktop. Sua interface é simples, elegante e voltada para o usuário comum. Na verdade, a única vantagem é a simplicidade. Não há nada que se faça com o yuuguu que não se fizesse antes com o bom e velho Tightvnc e o icq. Mas é justamente na simplicidade que o yuuguu bota suas fichas no mercado online.

Aplicações para esse tipo de tecnologia existem aos milhares. Desde retirar um virus no computador da sobrinha que mora no Rio de Janeiro até jogar online com um amigo Australiano.

Do meu Humilde ponto de vista. Existe uma boa oportunidade de negócio com o yuuguu e suporte online.

O mais recente termo adquirido pela mídia tecnológica é governança. A palavra está tão popularizada que já temos centenas de blogs, artigos e sites sobre governança de TI. Muitos deles sem uma definição clara de governança ou do objetivo do site. Esse termo foi importando e tropicalizado (outro neologismo!!!) das escolas de administração Americanas e Européias. Em verdade, é mais uma daquelas palavras traduzidas ao pé da letra, por alguém que certamente não conhece bem sua própria língua pátria e que não fazem muito sentido se analisadas � vista nua e crua da língua portuguesa como é falada no Brasil, mas que acaba ganhando espaço no vernáculo popular e na mídia em geral.

Antes de qualquer coisa é bom entendermos o que esse blog entende por governança. Em verdade essa palavra não existe no Aurélio, ao menos não existe na versão que possuo. Nesse blog: governança será o conjunto de procedimento, metodologias, técnicas e tecnologias que podem ser utilizadas para garantir o controle das atividades relacionadas a tecnologia da informação. A melhor palavra que pude encontrar no bom português para isso é governo contudo, essa palavra remete a sujeira, corrupção e perda de dinheiro, práticas nada defensáveis em ambientes empresariais então, por falta de coisa melhor, ficaremos com governança mesmo.

Se você é gestor de um departamento de TI; ou você esteve em coma nos últimos 5 anos, ou já ouviu falar de COBIT, ITIL, Six Sigma, BSC e de uma dúzia ou mais de novas siglas para métodos de controle e/ou avaliação de processos desenvolvidos por institutos mundiais com o objetivo de melhorar a “governança” dos ambientes empresarias. Muitos destes especificamente para as áreas de TI.

Aos olhos desatentos, tudo isso parece uma sopa de letras com objetivo de vender novas consultorias para as empresas incautas, também conhecido com estratégias de marketing. Olhos mais treinados perceberão que as empresas incautas faliram recentemente e as empresas que sobreviveram, só o fizeram por que detém um alto nível de competência e competitividade. Causa e efeitos diretos da sobrevivência da empresa e catalisadores de uma busca incessante por novas técnicas que possam aperfeiçoar processos diminuindo o custo e aumentando a produtividade. Novamente. Se não esteve em coma, já percebeu que nesse mundo globalizado em que vivemos concorrência é coisa séria e qualquer pequena vantagem pode representar a vida ou morte da empresa. Com isso em mente fica clara a necessidade do estudo desses novos métodos de “governança”. Notadamente em um ambiente como o da Tecnologia da Informação onde até recentemente, o auge da administração era uma ficha de controle de atendimento ao usuário e cuja função dentro da empresa saltou de mero controlador de dados e informações para sistema nervoso central do negócio.

Começando por esse artigo que você acabou de ler, iremos discutir cada um dos métodos com maior aceitação nos mercados nacionais e mundiais com o objetivo de permitir a avaliação e integração desses métodos em um ambiente de gestão de TI produtivo e efetivo.

Próximo tópico: COBIT: Controlando o Departamento de TI

Michael Larabel publicou hoje (19/02/02007) em seu blog a primeira experiência bem sucedida com a ferramenta de migração do Ubuntu, que estará disponível na proxima versão (7.04 Feisty Fawn), prevista para o mês de Abril. Acabei de testar em uma de nossas estações de teste e também consegui sucesso na migração.
Ressalte-se que essa estação de testes não sofre os efeitos do uso diário e nem tem softeares que não sejam
Depois de alguns meses sem grandes novidades na área de migração, essa ferramenta promete ser um fator decisivo para a migração de estações de trabalho de baixa produtividade, categoria em que se encaixam a grande maioria das estações empresariais.
Se tomarmos como referência a última migração para software livre, que realizamos de forma não automatizada, teríamos economizado aproximandamente 40 hs de serviço, migrando estações da secretaria, controladoria, contabilidade e pessoal. Sem muitos cálculos isso reduziria o tempo de migração em 5 dias reduzindo o custo para nosso cliente.
Se você está no negócio de migração preste mais atençà o no Ubuntu.

Desde que Dan Brown falou demais que todos os estudiosos dos pergaminhos do Mar Morto e dos evangelhos apócrifos estão evitando divulgar novas descobertas. Mas nesse fim de semana, um repórter italiano consguiu afanar um fraqmento de tradução de um dos pergaminhos, que reproduzo a seguir em tradução livre do Italiano. 

Em um momento de bondade Deus liberou para os homens o conhecimento sobre como construir e projetar coisas determinou que esse conhecimento ficaria restrito a um grupo muito pequeno e selecionado de pessoas. Mas, mesmo nesse pequeno grupo alguns, por pura vaidade, se achavam semi-deuses e capazes de desafiar o todo poderoso e melhorar sua obra. Em sua infinita misericórdia e sabedoria, o criador de todas as coisas resolveu que o processo seria árduo e para que os homens entendessem sua insignificância declarou:

-Novamente vois não entendestes meus desejos, então para que entendais sereis doravante conhecidos por engenheiros; dividirei as pessoas da terra em 10 tipos: as que entendem de Engenharia e as que não entendem e, finalmente tereis a vida especial de desejais:

  1. Não tereis vida pessoal, familiar ou sentimental.
  2. Não vereis teu filho crescer.
  3. Não tereis feriados, fins de semana ou qualquer outro tipo de folga.
  4. Tereis gastrite, se tiverdes sorte. Se vois fordes como os demais, tereis úlcera.
  5. A pressa será vosso único amigo e as vossas refeições serão pizzas frias e refrigerantes quentes.
  6. Vossos cabelos ficarão brancos antes do tempo, isso se tiverdes cabelos.
  7. Todos vos verão como loucos. E vois vereis a todos como loucos.
  8. Para vós dormir será considerado período de folga.
  9. O Trabalho será vosso assunto preferido e só faláreis de vosso assunto preferido.
  10. Vosso melhor amigo será a cafeteira. A cafeína não vos fará efeito.
  11. Tereis sonhos, mais sonharás com cálculos e/ou fornecedores.

-Todos os outros obedererão dez mandamentos vois obedecereis 21 e achareis normal e ficareis felizes.

Esta estória me foi enviada por um amigo, infelizmente não conhecemos o autor original.