Projetos de Redes Locais

As empresas, nesta nossa economia da informação, estão cada vez mais dependentes da estrutura de redes que interconecta todos os recursos de computação disponíveis, tanto interna quanto externamente. Na maior parte das vezes, o trabalho e a responsabilidade do administrador de redes se limita ao projeto e manutenção da sua rede local.

Para a realização de um bom projeto, que culminará em uma boa rede, o administrador deve seguir uma metodologia estruturada. Esta metodologia, ainda que um tanto limitante, servirá como base e garantia de um caminho seguro para o sucesso.

Análise das características do negócio

Levantamento inicial das características do negócio da instituição. É necessário identificar a área de atuação, seu mercado, suas necessidades imediatas e previsão de crescimento. É necessário analisar a instituição como um todo. Informações como o ramo de atuação, o mercado, a carteira do dos clientes podem conter informações importantes para o dimensionamento da rede. O tipo de produto ou serviço produzido pela instituição, o ritmo da produção e taxa de crescimento desta produção também podem ser utilizados para dimensionamento. Da mesma forma, os produtos e serviços que são consumidos pela instituição, sua quantidade e tipo também são importantes.

Análise da estrutura organizacional

O levantamento e registro da estrutura organizacional é o segundo passo desta metodologia. Determine se a instituição é independente ou faz parte de uma organização maior. Registre o número de filiais, departamentos, linhas de negócio e parceiros. O projeto de rede, na grande maioria dos casos, acaba refletindo a estrutura organizacional.

Registre o número de funcionários em cada setor, crie uma tabela relacionando os funcionários, suas tarefas e o provável consumo de banda, arquivos e recursos. Ao fazer isso, registre em um documento separado os grupos com maiores necessidades de recursos. Registre, principalmente o nome, dados de contato, e cargo dos responsáveis pelo projeto. Destacando as pessoas responsáveis pelas decisões técnicas e financeiras que podem facilitar o projeto.

Analisando as necessidades de conexão

Em contato direto com as pessoas responsáveis pela tomada de decisão identifique e documente os objetivos da rede. É importante registrar todas as expectativas com o resultado do projeto. Quais os benefícios que se pretende alvaçar? Facilidade de operação? Facilidade de comunicação? Aumentar a lucratividade da empresa? Colocar um site no ar? Expandir para mercados globais?

As expectativas da instituição determinarão a forma de conexão com o mundo exterior, a necessidade, ou não, da contratação de serviços extras ou dedicados.

Determine os critérios de sucesso

Como em qualquer projeto, uma das fases mais importantes do planejamento e determinar os critérios que serão considerados para validação do projeto. Tempo de acesso, disponibilidade e número de usuários atendidos são algumas das quantidades que podem ser utilizadas como métrica de avaliação.

Evite o uso de critérios que não sejam diretamente relacionados ao projeto. Aumento do lucro da instituição é o exemplo típico de valor que deve ser evitado. O lucro depende de variáveis completamente alheias ao administrador de redes.

Não esqueça de levantar as consequências de possíveis fracassos, totais ou parciais. É importante analisar quais serão as consequências para empresa se o projeto falhar totalmente, ou se apenas parte das expectativas não for satisfeita. O conhecimento prévio destes problemas poderá servir de referência para soluções alternativas durante o projeto. Minimizando os riscos de fracasso.

Caracterização da rede

O projeto diz respeito a uma nova rede ou expansão? Em cada um destes casos os serviços necessários serão diferentes. Uma expansão poder representar apenas aumento em serviços já contratados. Uma nova rede implica que novos fornecedores terão que ser contratados. Em cada caso podemos ter a necessidade de novos equipamentos ou não.

Determine as características geográficas da rede. Estará limitada a uma sala, um prédio, um conjunto de prédios no mesmo terreno? Qual a distância entre os pontos mais separados? Determine o melhor ponto para instalação de servidores considerando o comprimento dos cabos. Identifique a necessidade de links via rádio (Wi-fi, WiMax, Satélite).

Registre o estado dos prédios quanto as condições de segurança patrimonial, refrigeração, instalações elétricas e combate a incêndio. Estes serviços são essenciais e muito dispendiosos. A escolha do melhor lugar para os servidores precisará levar em conta estes fatores além das condições geográficas.

Caracterize o ambiente operacional

Identifique os softwares usados pela instituição em cada posto de trabalho registrando: O nome do software dado pelo cliente, o fornecedor, os recursos necessários para operação deste software (inclua recursos de disco, memória, banda e vídeo). Registre as atividade que são, ou pretendem ser, realizadas na internet. Levante e documente também todos os aplicativos utilizados nos servidores, se eles existirem.

Para cada aplicativo das estações de trabalho, ou servidores, registre as opiniões dos usuários classificando-os em níveis: Muito Bom, Bom, Razoável e Inútil. Registre também o tempo previsto para substituição e se já existe algum plano para isso. Registre também os aplicativos por grau de criticidade, menor para aplicativos dispensáveis e maiores para os aplicativos necessários ao funcionamento do negócio.

Registre, e documente as necessidades de multimídia- áudio, vídeo e telefonia. Estes aplicativos demandam muita banda e pouco tempo de latência. Estas necessidade impactarão nos objetivos técnicos.

Restrições ao projeto

Registre todos os comentários eventualmente negativos a rede atual, ou ao projeto da nova. Registre as restrições financeiras e políticas. Registre principalmente a existência de fornecedores preferenciais, contratos de fornecimento de serviços ou limitações de fornecedores. Observe e registre as necessidades específicas de protocolos. Não é raro que empresas do ramo automobilístico, por exemplo, sejam forçadas a utilizar um protocolo de rede específico do seu setor. Registre a política da empresa quanto ao uso de soluções de software livre ou proprietário.

Verifique a validade das licenças dos softwares proprietários instalados na rede. Registre o número de série e o nome da máquina onde estão instalados todos os softwares proprietários com qualquer problema de licenciamento.

Registre específica e claramente todas as restrições orçamentárias, sejam elas relativas a aquisição, ou licenciamento, de software, hardware ou serviços. Levante a política da empresa quanto a contratação de consultorias externas.

Registre também os custos atuais de manutenção da rede, se existir uma, do acesso internet e dos serviços de consultoria utilizados pela empresa.

Objetivos e restrições técnicas

Uma vez determinados os objetivos do negócio, é necessário caracterizar os objetivos técnicos. Devem ser examinados os seguintes objetivos:

Escalabilidade: indica a habilidade de manipular uma quantidade crescente de serviços e requisições de forma uniforme, ou estar preparado para crescer.

Disponibilidade: indica a capacidade de resistir a falhas e manter os serviços funcionando. Refere-se ao percentual de tempo em que a rede está disponível.

Desempenho: indica a capacidade de atender as solicitações de serviço de forma homogênea e adequada.

Segurança: indica o grau de confiabilidade da rede quanto a integridade dos serviços e dados da instituição.

Gerenciabilidade: indica o grau de automação e gerenciamento desejado na rede.

Usabilidade: indica o grau de facilidade de uso dos serviços de rede disponíveis para a instituição.

Adaptabilidade: indica o grau de adequação aos novos serviços e tecnologias.

Recuperação: Capacidade de restaurar dados perdidos por problemas físicos ou lógicos.

Atenção especial ao desempenho. A maior parte das pessoas leigas entende desempenho apenas como a velocidade da rede e fatores como memória das máquinas clientes, velocidade dos discos e aplicativos utilizados podem fornecer uma impressão errada do desempenho da rede.

Proceda a uma detalhada análise de riscos antes de determinar seus objetivos de segurança. Verifique, principalmente, o grau de sensibilidade e atratividade dos dados da instituição. As necessidades de segurança de um banco são diferentes das necessidades de segurança de uma padaria. Com essa informação determine os recursos que devem ser protegidos e o grau de segurança necessário. Uma boa regra é definir três ambientes diferentes: Seguro, classificado e aberto.

A gerenciabilidade é, na maior parte das vezes, proporcional ao tamanho da rede. Na maior parte das LANs uma boa interface de administração de servidores basta. Em redes maiores pode ser necessário recorrer a protocolos de inventário e administração remota de clientes e servidores.

A usabilidade pode ser uma função direta da interface de acesso aos serviços da rede. Neste caso é necessário observar o impacto das políticas de segurança, as interfaces de operação para os serviços de rede e os processos de treinamento. Enquanto a gerenciabilidade observa a facilidade de gerência a usabilidade está relacionada com a facilidade de uso.

Quanto a restauração é importante determinar uma política de cópias de segurança adequada a instituição. Esta política deve incluir a existência de um repositório remoto de cópias de segurança, para empresas de médio e grandes portes.

Considerações de custo

O mercado de TI avança a passos de gigante. Em poucos meses tecnologias são substituídas por tecnologias mais baratas ou por serviços. Existem alguns fatores que devem ser considerados na hora do projeto:

Software livre: O uso de software livre e de código aberto, principalmente no servidor, reduz drasticamente o custo de implantação da rede. Existe, no entanto, uma preocupação a ser considerada. Existem profissionais treinados para o uso de software livre na instituição? Se a resposta for negativa o custo de treinamento deve ser considerado.

Hardware: O custo do hardware é alto. Alta também é a rotatividade. A definição de uma política hierárquica de capacidade de processamento relacionada a função operacional pode reduzir muito os custos. Desta forma os computadores mais requisitados terão sempre o melhor hardware.

Infraestrutura: Energia, iluminação, cópias de segurança, segurança patrimonial e proteção contra incêndio são indispensáveis para projetos de médio e grande porte.

Terceirização na Nuvem: Existem centenas de empresas que oferecem serviços de servidores web, servidores de backup, servidores de arquivos e até mesmo de servidores dedicados para seus aplicativos. É importante considerar se o uso de uma, ou mais, destas empresas não será mais adequado para a instituição. Considere o custo dos serviços, o custo da banda necessária para acessar estes serviços contra o custo da infraestrutura de suporte e segurança necessários. Para instituições de pequeno e médio porte não é raro que o uso dos serviços na nuvem sejam mais interessantes.