Conceitos de redes de computadores

Ao longo desta série de artigos utilizaremos a expressão “rede de computadores” quando quisermos mencionar um conjunto de computadores autônomos interconectados por uma única tecnologia (TANENBAUM, 1998).

Unagen de switch mal instalado

Como não fazer uma rede de computadores

Consideraremos os computadores interligados em rede quando eles forem capazes de trocar informações entre si. Estas informações podem ser trocadas na forma de pacotes de dados ou do fluxo contínuo de dados. As redes modernas, em geral, utilizam a troca de informações no formato de pacotes de dados.

A conexão não precisa ser feita por um fio de cobre; também podem ser usadas fibras ópticas, microondas, ondas de infravermelho e satélites de comunicações. Existem redes em muitos tamanhos, modelos e formas, como veremos mais adiante (TANENBAUM, 1998).

Existe na literatura uma considerável confusão entre uma rede de computadores e um sistema distribuído. A principal diferença entre eles é que, em um sistema distribuído, um conjunto de computadores independentes parece ser, para usuários, um único sistema coerente. Em geral, ele tem um único modelo ou paradigma que apresenta aos usuários. Com frequência, uma camada de software sobre o sistema operacional, chamada middleware, é responsável pela implementação desse modelo. Um exemplo bem conhecido de sistema distribuído é a World Wide Web, na qual tudo tem a aparência de um documento (uma página da Web) (TANENBAUM, 1998).

Ao longo do tempo a estrutura de conexão de dispositivos entre si evoluiu da simples ligação de dois fios até a internet. Neste processo foram desenvolvidas tecnologias de roteamento – escolha da melhor rota, protocolos – códigos de comunicação, e dispositivos específicos para permitir a ligação entre os dispositivos ligados à rede. O crescimento da internet provocou a criação de dispositivos de segurança e levou os conceitos de rede a limites inimagináveis vinte anos atrás.

As redes modernas, incluído a internet, são baseadas em protocolos. Protocolos são regras de comunicação. Por exemplo, quando alguém atende o telefone, não basta tirar o aparelho do fone, é necessário emitir um sinal –AlÔ!, para iniciar a comunicação. Nas redes existem órgãos internacionais responsáveis pela criação e especificação destes protocolos de comunicação.  O TCP (Transmission Control Protocol, ou protocolo de controle de transmissão e o IP (internet protocol, ou protocolo internet) são os principais protocolos utilizados na internet e, por consequência, na maior parte das redes locais. O protocolo IP é responsável pelo estabelecimento da rota que os pacotes seguirão de uma máquina para outra. Para tal cada máquina deve ter um endereço próprio, o endereço IP. Já o TCP é responsável pela conexão, transporte e desconexão juntos eles fazem o TCP/IP  um anacronismo de uma pilha de protocolos. Especificados pelo Internet Engineering Task Force (www.ietf.org) que permitem o funcionamento da internet.

As redes locais são anteriores a internet. Desta forma, não é necessário destacar que estas podem funcionar sem interconexão com a internet e que existem protocolos desenvolvidos especificamente para seu funcionamento. Contudo, como os protocolos da internet se adaptam perfeitamente as necessidades das redes locais e como a maior parte das redes locais está conectada a internet, por exigência do mercado, estas redes usam internamente os mesmos protocolos.

Bibliografia:

TANENBAUM, A. S. Redes de Computadores. 3ª. ed. São Paulo: Editora Campus, 1998.