2090, Um churrasco como outro qualquer


– Como assim carne?

Marcelo olhou assustado para o amigo e do alto dos seus 9 anos disparou: Carne, caramba! Carne de vaca!

– Ah! Tá! Como se isso fosse possível.

E rolando os olhos pequenos completou: Onde seu pai conseguiu carne de vaca?

– Na África. Lá ainda existem bois e eles matam, cortam e vendem a carne para assar.

Julhinho que estava entretido em seu mundo virtual, desconectou:

– Não é possível, ninguém assa carne. Eu assisti um filme sobre isso, esta noite, na escola e o professor deixou bem claro que a última vez que se assou carne foi há mais de 50 anos. Antes da Grande Seca.

– Não na África. Lá, no interior de alguns países, ainda assam carne. NO FOGO! O governo só não quer que saibamos disso. Uma vez, no Brasil, tinha mais boi que gente. Imagine até na cidade era possível comprar carne.

– Essa não dá, desculpa Paulo, mas essa não dá para acreditar. Primeiro você diz que vai comer carne, depois que na África eles assam carne. Qual é isso não existe. Desde que inventaram  a carne sintética, ainda antes da Grande Seca, que paramos de matar e torturar esses pobres animais.  O mundo todo assinou a lei de alforria. Todo mundo sabe disso. Ninguém mata para comer ou para se divertir. Só de pensar me dá ânsias. Boi na cidade assim é muito! Mente não que é feio.

Nada como ter nove anos para conhecer as verdades do mundo. Ciente do seu poder. Paulo disparou:

– Duvidam, então ta, no recesso,  quando acordarmos depois das aulas, Vocês estão convidados para irem na minha casa. Meu pai vai assar carne como ele aprendeu com o avo dele, no FOGO, com carvão. Só não contem para ninguém. Ele disse que isso é ilegal e que eu não podia contar para ninguém.

– Fogo… nunca vi, só nas aulas. Não foi por causa do fogo que tivemos a Grande Seca?

– Não. Foi a fumaça, muita fumaça. Os caros, os bois, as usinas a carvão, o petróleo… por isso que os países baniram o fogo. Para não fazer fumaça.

– Pois é, meu pai estava viajando e viu a carne, na estrada, sendo assada. Não resistiu e comprou um pedaço e trouxe para nós. Ele disse que o avô dele assava carne toda semana. Chamava de chupasco, e que todas as casas tinham uma chupasqueira.  Sábado, lá em casa vai ter o tal do chupasco.  Podem ir ver… podem ir… só não contem nem para o pai de vocês.  Meu pai disse que é muito bom. Ele lembra de quando ele era pequeno e o avô dele fazia. Cortava a carne, colocava no fogo até tostar, e depois cortava e servia com umas outras coisas que ele falou mas não lembro agora.

– Não achei o chupasco. Procurei em 3d achei um tal de churrasco. Mas não tenho acesso tem que ser maior de 12 anos para ver um churrasco deve ser nojento. Imagine… carne assando, pingando sangue…. fumaça… eu não vou. Imagine!