Como você já deve saber, o Google mudou sua política de privacidade. Aquela declaração que os sites, e empresas de tecnologia fazem sobre o que farão com os dados que, graciosamente, você fornece quando usa seus serviços.
Apagar seus dados no Google

Creative Commons License photo credit: _Max-B

Esta mudança está dando o que falar na Internet, por todos os lados, sem dó nem piedade. Aliás, como era de se esperar. Não perguntem minha opinião. Náo tenho uma. Praticamente não navego conectato e, na maior parte das vezes uso um proxy, modo stealth ou anônimo. Pouco tenho que me preocupar com isso e não dou lá muita atenção. Coisas de gente paranóica!

A nova política do Google entra em vigor dia primeiro de março do ano da graça de nosso senhor de 2012, ou seja, amanhã. Então você tem poucas horas para limpar os dados que o Google possui das suas pesquisas antigas.  Visite a página Google Web History e clique no botão Remover todo histórico da web e confirme. Você precisará logar na sua conta do Google primeiro e talvez tenha que confirmar a senha.

Você pode remover seu histórico na web

Feito isso, pode ficar tranquilo, eles sáo vão utilizar os seus dados daqui para a frente. Imagine!

Leonardo Fibonacci (ou Leonardo de Piza) viveu na Itália no fim da idade média (1170 -1250) escreveu o Liber Abaci onde defendia o módo hindu-arábico de numeração com o uso dos algaritmos 0 – 9 e o valor posicional. Não bastasse isso, nos deu a sequência que leva seu nome e, pode ser utilizada para esplicar quase tudo que há de bonito.

A animação que acompanha este pequeno artigo apresenta a beleza desta sequência.

Em novembro de 2011, uma rede de computadores controlada por criminosos foi descoberta pelo FBI. Através de um malware  chamado DNSChanger eles criaram uma rede capaz de redirecionar o tráfego IP e, entre outras coisas, escapar dos olhos da lei. Para manter a infra estrutura funcionando infectaram 4 ou 5 milhões de computadores com o tal DNSChanger. Nada de pânicos isso tudo é história.

Continue reading

Hoje, conversando com um amigo sobre SEO, fiz uma busca, no computador dele com o argumento depijama. Só para mostrar que o Google trata de forma diferente sites que fazem algum sucesso. Estou acostumado a ver o DePijama aparecer na primeira linha do resultado, tímido como sempre.

Imaginem qual foi a minha surpresa ao descobrir que o DePijama virou gente grande.

DePijama agora é gente grandeViu lá? Tirando as duas garotas de pijama, a coisa mais interessante do resultado é o destaque que o Google está dando ao site destacando alguns links interessantes.

Resolvi postar este pequeno artigo só para agradecer a vocês. Sem a participação de vocês, lendo, comentando, retweetando (é assim que se escreve?) isto não teria acontecido e garantir que sempre que ver algo interessante na web, continuarei postando por aqui. Esta é uma conquista da participação de vocês.

 

A Fundação Bill e Melinda Gates lançou, em julho de 2011, uma iniciativa para recriar nosas privadas. Não a vida. Aquele objeto no banheiro que ninguém gosta ou vive sem. No fim do artigo está um filminho do lançamento da iniciativa, só em inglês.

Seu cocô será útil

A verdade é que, se tiverem sucesso, esta contribuição do Bill Gates para a humanidade pode ser maior e mais importante que tudo que ele já fez. Para garantir isso a fundação lançou 41.5 milhões de dólares para esta iniciativa. E dezenas de patrocínios à pesquisa já foram concedidos em todos os continentes.

Parece notícia velha, mas não é. Só agora, começam a circular propostas interessantes na internet. O que se apresenta ainda é conceitual. É necessário entender o processo e ver se é economicamente viável. Se for, pode ser uma solução para implantação imediata em condomínios.

Na europa, desde 2010 já é possivel encontrar dispositivos sanitários (lindo nome para privada) capazes de separar sólidos e líquidos, o que facilita o processamento, tanto para fertilizantes (urina) quanto para adubo (fezes), seguindo o mesmo princípio que separar papel de plástico facilita a reciclagem. Por enquanto podemos continuar hackeando privadas.

 

Tudo que o usuário precisa fazer é visualizar o ponto de destino e pensar na velocidade que gostaria de viajar e o skate, chamado de Board of Imagination,  faz o resto. Graças aos sensores incluídos em uma especie de capacete wireless desenhado pela  Emotiv,

Os sinais produzidos pelo cérebro são traduzidos pelo capacete e enviados a um tablet Sansung, rodando Windows 8 através do conector USB. O software do tablet, por sua vez, interage com o skate e controla a velocidade do skate. Para parar, tudo o que o usuário precisa fazer é pensar no destino. Segundo a entrevista da c-Net, o projeto levou 48hs de criação e dois dias de ajustes e correções.

Leitor de mentes controla skate motorizado

Me lembra muito a história do cavalo que disparava quando ouvia Graças a Deus e parava quando ouvia Santa Maria.

[youtube http://www.youtube.com/v/2KtMCX7FfZ0?version=3&hl=pt_BR]

Hoje é dia do Designer. Parabéns, sem vocês o mundo seria mais feio, menos prático e dolorido. Nós pobres programadores web, viveríamos em um mundo de tabelas monocromáticas infinitas. Chato, muito chato. Então felicidades e sucesso para todos os designers que ao longo da vida são obrigados a passar por isso:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais tirinhas em webdesignerdpot.com

 

Se você ainda não sabe a coisa mais quente do momento na internet é um novo serviço, com características sociais, que, em pouco mais de um mês passou de 10 milhões para 17 milhões de usuários, segundo a Experian Hitwise uma empresa especializada nessas coisas de entender o que se passa no mundo online via estatísticas. Não é pouca coisa. Imagine o quanto isso pode influenciar seu sucesso online.

O que é Pinterest

Trata-se de um quadro de avisos online, onde você pode pregar (pin) seus recados, destacando as imagens e, seus seguidores, e todo o resto do planeta, podem comentar, re-pregar (repining) ou gostar (like). Pouco espaço para blá-blá-blá e um design lindo que destaca as imagens e acaba capturando os usários pela beleza da coisa. Rápido, simples, eficiente e, por enquanto, nenhum anúncio. Os  anúncios tardam, mas não falham. Obviamente, a imagem que você destacou possui um link que leva direto a uma página de comentários e estatísticas dentro da própria Pinterest e desta página para a página original. Em resumo, trata-se de um “caramba gostei deste artigo” a nível mundial, quase um StumbleUpon sob esteróides.

Para fazer parte da festa, ainda precisa de convite. Você pode tentar direto no www.pinterest.com ou comentar o tweet deste artigo no @depijama, todos os que comentarem e seguirem o @depijama, serão convidados. Só para enfatizar, precisa comentar e seguir!!!

imagem da home da Pinterest

Trata-se de um trabalho sério, feito por gente que entende de internet, basta você arrastar um link para a barra de favoritos do seu navegador e não precisa nem visitar o site para marcar (pin) seus sites preferidos. Basta clicar no dito link que uma janela se abre e pronto, você classifica comenta e distribui a imagem. Quem gostar lhe segue, comenta ou re marca (reprega?? repin??) seu pin (post? destaque?) Deus, nestas horas o português parece mais um código secreto!

A Pinterest é um gerador de tráfico

As pessoas adoram imagens, o Facebook e o Flickr que o digam. Mais que isso. As pessoas gostam de compartilhar. Visualmente é mais fácil, uma imagem é mais importante que 1000 palavras. Não é esse o ditato. Na internet é mais verdade ainda, ninguém tem tempo de ler todos os artigos que são indicados e escolher pela imagem é rápido, simples e divertido. Parou!!!! Preciso me policiar e parar com essa mania de Luiza Helena e usar três adjetivos para tudo.

Pinterest gera mais tráfego que o Google+

Além disso, as imagems acabam servido como fonte de inspiração. Brincando com a esposa mostrei uma foto de umas cenouras especiais para a Páscoa feitas de Cheetos. Dá para Acreditar? De pronto ela tirou a idéia de um artigo e … Pode olhar aqui

Ou seja, se você está na chuva do relacionamento social, é melhor se molhar na Pinterest. É claro que o pobre blogueiro que vos escreve já está lá, assim como a Marta Stuart e mais uma penca de gente antenada.

Como usar a Pinterest

Como já dissse, tem o tal do linkzinho da barra de favoritos. Além disso, existem aplicativos oficiais para o iPhone e iPad e não oficiais para o Android, plugins para o Chrome e Firefox. Eu que sou da área fiquei com o linkzinho, muito oficial, e não quiz me aventurar com plugins, sabe Deus.  Até aqui morreu o Neves, esta é a coisa física. O verdadeiro uso está na alavancagem de tráfico e vendas.

Já existem alguns cases (perdõem o sacrilégio) de sucesso do uso da Pinterest, nos estates e outros exteriores seguidores de Shakespeare:

  1. How Pinterest can be Effective for a Carpentry Blog
  2. Case study: How a UK Flooring Company is using Pinterest
  3. 7 Examples of Brands that Pop on Pinterest
  4. How Chobani Use Pinterest to Sell Yoghurt

Que servem de base para entender o fenômeno antes de arriscar sua amada marquinha em uma nova rede social. Uma vez estudado você deve:

  • Adicionar um botão de Follow me on Pinterest no seu site (Já viu? Aquela coisa discreta no alto desta página? O treco em vermelho!)
  • Promover sua conta no Pinterest nas suas outras redes sociais. Tente achar minha linha do tempo no Facebook e veja o que tem lá.
  • Marque sua presença com um concurso ou promoção. Confesso, eu escrevi estas dicas…
Gente mais esperta que eu, diz que devemos seguir pessoas que nos sigam. Não gosto desta estratégia nem no Twitter, imagine na Pinterest mas, quem sou euzinho, pobre blogueiro para discutir.
Se você realmente pretende usar a rede profissionalmente, se torne um curador, seja especialista em um assunto e as pessoas interessadas vão seguí-lo. Na verdade, esta é a chave para o sucesso e, sem dúvida a Pinterest consolida em uma ferramenta três fortes tendências recentes: Redes Sociais, compartilhamento de imagens e a função de curador. Se conseguir juntar os três terá sucesso. Escolha rápido, os espaços são poucos.
Antes de escolher talvez fosse interessante saber que, na última estatística, 83% dos usuários eram mulheres, estiveram na faculdade e têm entre 35 e 44 anos (pelo menos este é o grupo maior entre as mulheres).  Há um lindo infográfico aqui.
Por último, mas não memos importante, você pode usar a Pinterest só por prazer. Se não me engano foi Bertrand Russel quem disse que o tempo gasto com prazer não é tempo gasto.

Como quase tudo em marketing, não existe uma definição rigorosa do que é content marketing. A maior parte dos sites especializados definem content marketing como sendo um conjunto de práticas de marketing, online, que usa conteúdo de qualidade para alavancar vendas. A Wikipedia começa dizendo que o conceito é um guarda-chuva sob o qual….  e continua de forma um tanto indefinida. Para este artigo vamos ficar com a intenssão e não com a definição. Prática recente que usa a criação de conteúdo gratuito e facilmente compartilhado visando transformar usuários em clientes. O conceito parece novo mas, na verdade, sintetiza várias práticas consolidadas no mercado online e aponta um caminho mais eficiente para a obtenção de uma posição relevante nos sites de busca. Novo? Quão novo este conceito é?


photo credit: Eustaquio Santimano

O Google Trends é uma forma inteligente de entender o que está acontecendo na intent, o que as pessoas preferem, usam, praticam e comentam. Ferramenta gratuita, online e rápida que economiza centenas de horas de pesquisa e análise. Uso e abuso da ferramenta, nada mais natural que começar por lá:

Gráfico do Google Trends para Content Marketing

Digamos assim: Trata-se de um bebê! Ainda assim promissor.

Com as recentes mudanças no Google, até as pessoas comuns, que não se preocupam com as entranhas das ferramentas populares, foram expostas a uma dura realidade. O SEO é nocivo para o usuário comum e todos os sites de busca, O Google em particular, travam uma batalha feroz contra estas técnicas. Aaron Wall, colocou a boca no mundo. Se você assiste minhas aulas. já viu como é fácil colocar uma página entre as três primeiras do resultado de busca do Google. Se não, precisa acompanhar minhas aulas ou o @depijama. Não vamos discutir aqui as razões do Aaron, nem as entrelinhas. Vamos tentar entender o tal do content marketing e ver se a coisa faz sentido.

Para o que serve o conteúdo em um site de vendasNão é de hoje que hoje que os marketeiros apregoam que o conteúdo é uma excelente ferramenta para determinar sua posição nos sites de busca. Nada poderia ser mais óbvio. O objetivo de um site de busca é fornecer uma lista de sites com conteúdo relevante. Não deveria ser necessário um grande esforço mental para entender que, se o seu site tem conteúdo relevante, vai aparecer bem no resultado da busca. O problema é fazer o conteúdo relevante para um determinado conjunto de palavras que, por sua vez, ajudem a vender o seu produto.  O primeiro passo que devemos tomar é parar de pensar que podemos enganar, ou conduzir, os sistemas automáticos dos sites de busca.

Antes ainda é preciso tomar cuidado com outra técnica. Existe o Copywriting, não confundir com copyright. O primeiro é uma ferramenta de redação e publicidade, cujo objetivo é induzir o visitante, usuário, a permitir que o marketeiro lhe envie propaganda na forma de conteúdo. O segundo, copyright é o termo usado para direito de cópia.  Olhando assim, o copywriting e as técnicas de content marketing podem parecer similares. Ledo engano. Eles não poderiam ser mais diferentes sem deixar de serem complementares. Há aqui, uma tênue fronteira que precisa ser respeitada. Conteúdo sem intensão de venda. Só na academia e copywriting sem conteúdo nem na feira.

Então, uma boa estratégia de marketing baseada no conteúdo deve conter um apelo de copywriting. Deve, de alguma forma tentar cooptar o usuário, leitor, visitante. Um like (Facebook) ou um follow (Twitter) basta. O imporante é que seu contúdo seja tão interessante que estas ações ocorram sem que você forçe, solicite ou insinue. Então: “dá um like ai!” Fica terminantemente proíbido.

Uma boa prática é ter em mente que cada artigo ou tweet que você escrever, visando vender seu produto, deve solucionar um problema para seus visitantes (seguidores, usários, clientes?) ou, no mínimo, provocar uma sorriso. Na melhor das hipóteses solucionar um problema com um sorriso.  A esta altura do campeonato, você já entendeu que o objetivo é fazer um conteúdo que seja relevante, não contenha marketing explicito, de forma que seja bem classificado nos sites de busca, seja inteligente e engraçado de forma a se tornar viral.

Eu nunca disse que era fácil! Mas, uma vez que você consegue. Ficará muito tempo entre os primeiros resultados e colherá frutos, muitos frutos.