E uma atriz de Hollywood toma a cena na história da engenharia elétrica

Standard

As décadas depois da segunda guerra mundial não foram fáceis para ninguém. Principalmente se você fosse mulher, linda e inteligente. Hedy Lamarr nasceu na Austria em nove de novembro de 1914. Linda e inteligente de um tipo exótico para a Austria, foi descoberta pelo Diretor Max Reinhardt e teve uma carreia curta na Europa. Talvez, seu primeiro momento de fama tenha sido oriundo da cena de nudez no filme Ectasy. Mas, o mais importante é o que ela realizou com a tecnologia da época.

Casou-se, pouco depois com um dos homens mais ricos da Áustria, que desaprovava sua carreiraHedy Lamarr (9) de atriz mas que, mesmo sem querer, lhe abriu as portas e o contato com a tecnologia miltar. O que despertou na jovem Hedy uma curiosidade quase irresistível por ciência aplicada. Coisa que, se me permitem o abuso, falta no Brasil.

Em Paris, Hedy conheceu um dos principais executivos da MGM: Louis B. Mayer que abriu-lhe as portas de Hollywood e a promoveu como sendo a mulher mais bonita do mundo. No futuro, Hedy usaria sua influência como atriz para livrar a mãe dos nazistas. Sua carreira cinematográfica abrange os anos entre 1930 e 1950. E, em alguns registros da época ela se declara entediada pela carreira de atriz. É neste tédio que a verdadeira Hedy aparece.

Se dedicando a aplicação da ciência ela projeta um sistema de comunicações secretas chamado de “frequency hopping” com a ajuda do compositor George Anthell, que impedia que transmissões de radio fossem interceptadas por países inimigos. Lembre-se que estamos em plena Guerra Fria. Infelizmente, como a inventora, não era militar, as forças armadas norte americanas. O exército, principalmente, ignoraram a patente até que esta expirasse. Anos depois, a marinha americana recorreu a este sistema durante a crise dos misseis cubanos.

O “frequency hopping” de Hedy é conhecido hoje como Frequency-hopping spread spectrum, (espectro de difusão em frequência variável em tradução livre) – é um método de mudança constante da frequência da portadora do sinal, em uma sequência pseudo-aleatória. Esta técnica é utilizada em Wi-Fi e GSM em situações específicas.

O FHSS  utiliza como meio transmissão o rádio de alcance limitado, operando na banda ISM (Industrial Scientific and Medical) de 2,4 GHz. A banda é dividida em 79 canais de freqüência com 1 MHz de largura, sobre uma sequência de canais pseudo-aleatória. A parte mais importante do processo consiste em garantir que transmissores e receptores estejam sincronizados e utilizem os canais na mesma sequência. Para garantir isso, em cada ciclo, um canal é usado para transmitir sinais de sincronismo. Imaginem, como, nos anos 1950, esta ideia era genial.

Infelizmente, como acontece com muitas mulheres extraordinariamente bonitas, o final de sua vida não foi feliz nem glamoroso. Seu filho, está tentando recuperar a memória da inventora atriz em detrimento do ideal de beleza criado por Hollywood. Talvez, você devesse dar um pulo no site dele em:  Hedy Lamarr

 

 

 

One thought on “E uma atriz de Hollywood toma a cena na história da engenharia elétrica

Comments are closed.