De tempos em tempos, o universo joga dados

Standard

No dia 18 de março de 2008 depois de “90 órbitas ao redor do sol”, Sir Arthur C. Clark foi descobrir se existe ou não, vida após a morte. Fazendo a passagem dessa para melhor em um hospital na cidade de Colombo / Sri Lanka.

Sir. Arthur foi o autor de 2001 uma Odisséia no Espaço e de mais uma centena de livros, contos e ensaios sobre ciência e ficção científica que alimentaram a imaginação de toda uma geração. Entre os avanços tecnológicos que ele preveu estão os satélites de comunicação as órbitas geo síncronas e os elevadores espaciais.

O Vídeo nessa página foi gravado em dezembro de 2006 a pedidos dos seus amigos e trás as últimas palavras do grande escritor e pensador.

Poucas horas depois, se você estivesse olhando para o céu, na direção certa, veria um brilho intenso.

foto da explosão como captadaEsse brilho também foi captado pelo Swift, um satélite para observação de raios gama da Nasa. O brilho era o sinal indelével do mais espetacular e violento evento já observado no universo. Sendo 2.5 milhões de vezes mais brilhante que a mais brilhante super nova já observada.

Uma explosão de raios gama a 7,5 bilhões de anos luz de distância que não poderia ter chegado a Terra em momento mais interessante.

Alguns astrônomos propuseram que essa explosão de raios gama, conhecida como GRB 080319B (Gama Ray Burst + Data), seja nomeada de Evento Clark, em homenagem ao grande escritor. Eu, de minha parte, se tivesse voto, aprovaria.

Então? Isso foi ou não foi coincidência?