Para que serve um pdf que não pode ser impresso.

Standard

A WWF criou um formato de arquivo, variação do pdf, que não pode ser impresso. Para que diabos, serve isso?

Funciona assim, você visita o site acima, baixa um programinha que instala uma nova impressora no seu computador. Quando tiver que imprimir alguma coisa, escolhe esta impressora e, em lugar de imprimir em papel, imprime no novo formato. Se por acaso, em algum momento quiser imprimir este  arquivo de verdade, no bom e velho papel, isto não será possível.  Parece boa a ideia. Eu apoio. Simplifica as coisas.Infelizmente só para o Mac.

No Windows e seus derivados, você pode usar o pdf creator basta baixar e instalar. Ele também cria uma impressora virtual que permite que você imprima em Pdf, verifique as propriedades, você pode alterar o direito de impressão em segurança. O efeito será o mesmo do novo formato.

No linux, especificamente no ubuntu, você precisará instalar o pacote cups-pdf. Também aqui, você pode verificar as propriedades do arquivo e impedir que ele seja impresso.

A inciativa da WWF é louvável e admirável por que facilita as coisas. Facilidade leva ao sucesso.

O cara DePijama acha que o efeito na natureza será muito pequeno. A imensa maioria do papel impresso no mundo tem origem em áreas replantadas, com cultivo controlado. No máximo, se tivermos sucesso absoluto, mudaremos de uma cultura  para a produção de papel para um outra cultura qualquer que pode ou não ser mais eficiente na absorção de carbono ou na emissão de oxigênio. Ainda assim, tem o mérito de fazer as pessoas pensarem no assunto e se convencerem da importância dos pequenos atos. Gente convencida tem muito poder!

Um pdf que não pode ser impresso serve para salvar o mundo, e você pode fazer isso hoje.

fonte: Fayerwayer

Acautelaivos, o Sol acordou

Standard

No dia 06 de dezembro de 2010, nossos telescópios, satélites e observatórios em geral, voltaram a registrar altos níveis de atividade solar. O Sol acordou e está rumando para um período de atividade máxima.

A foto que ilustra este artigo mostra uma ejeção de plasma com pouco mais de 800.000 quilômetros de comprimento e 111000 de largura. Alguma coisa com o comprimento de duas vezes a distância da Terra a Lua no seu apogeu. Uma das maiores ejeções de plasma notada nas últimas décadas.

Não trouxe nem trará nenhum aborrecimento para os pobres terráqueos, não afetou nem afetará as comunicações, não estava apontada em nossa direção e sequer é uma das maiores já registradas. É importante apenas por causa da magnitude e da beleza e por que, provavelmente marca o fim do mínimo solar.

Erupção Solar, início do período de máximo solar, cortesia do  Observatório solar da Nasa

Como você sabe o clima em nosso amado planeta depende dos humores do Sol. Estamos na, por assim dizer, atmosfera do Sol. Se por acaso a atmosfera do Sol esquentar as coisas aqui ficarão quentes.

O que talvez você não saiba é que o Sol tem ciclos de atividade, descobertos nos anos 1800 pelo astrônomo alemão Heinrich Schwabe. O quê o sr. Schwabe descobriu foi uma regularidade, ciclos, na quantidade de manchas solares. Manchas solares, são pontos do tamanho de planetas que de tempos em tempos aparecem na superfície do Sol, fruto das explosões que ocorrem internamente e do retorno de ejeções de plasma como a que vimos ontem a superfície. Esta atividade provoca alterações na magnetosfera do Sol, ejeta grande quantidade de massa e radiação e, eventualmente chega a criar sérios problemas com nossos dispositivos eletrônicos. Esta atividade também provoca um significativo aumento da temperatura da coroa solar e da, por assim dizer novamente, atmosfera solar.

O ano de 2009 marcou um mínimo solar. Chamamos de mínimo solar o período onde observamos o menor número de manchas solares. Mas não foi um mínimo qualquer, foi o menor mínimo em um século Outros sinais como a pressão do vento solar ou a quantidade de irradiação também apresentavam sinais claros que em 2009 estávamos experimentando um mínimo solar.

Observe que neste período de mínimo solar, quando a temperatura do grandão estava ridiculamente baixa nós, pobres inquilinos temporários desta rocha, continuamos observando sinais claros de aquecimento global. Provocados, como você está roxo de saber e ouvir falar, pelo tal do efeito estufa. É aqui que a imagem deste artigo fica importante.  Essa ejeção de plasma mostra o início do máximo solar.

Esta história de máximos e mínimos, são apenas uma observação do que acontece no Sol. Quando observamos isto não tínhamos um milésimo da tecnologia que temos hoje, ainda assim foi possível definir um ciclo de 11 anos que, ao longo dos últimos dois séculos se mostrou muito preciso, vamos considerar, só por um momento que esteja certo. Então, faça as contas comigo: 11 anos de ciclo implica em 5,5 anos em sentido crescente e 5.5 anos em sentido decrescente. Voltando ao início do parágrafo: Essa ejeção de plasma mostra o início do máximo solar ou seja, teremos 5.5 anos de acréscimo na atividade solar, 5.5 anos de acréscimos na temperatura da atmosfera solar. CINCO E MEIO ANOS DE ACRÉSCIMO NA TEMPERATURA DA TERRA.

Você estava preocupado com o efeito estufa? Não se preocupe, você ainda não viu nada! A coisa pode não ser tão linear como estou mostrando aqui. O objetivo era simplificar e mostrar o que está por vir.

Ps. Nada como um pouco de otimismo para começar o dia. 🙂

Escoceses transformam Whiskey em combustível

Standard

Pesquisadores escoceses da  Edinburgh Napier University depois de dois anos de pesquisa e USD$400.000 conseguiram transformar whiskey em combustivel.

Glycerin
Creative Commons License photo credit: markus r.

Estes pesquisadores que, certamente, vão arder no mármore do inferno, conseguiram produzir butanol que é 30% mais eficiênte como combustivel que o ethanol.

Sério gente. Eu sei que a crise é grave, efeito estufa, carbono zero, etc… Mas, whiskey! Meu Deus Por quê?

Se beber não dirija. Nem pesquise.
Link Original: Scottish Researchers Transform Whiskey into Fuel

Agora sério: O combustível será produzido a partir dos resíduos industrias da produção do Whiskey. Melhorou 🙂

Para ver a mancha de óleo

Standard

Foto publicada pela Nasa da foz do rio Mississipi mostra exata e claramente o tamanho do estrago causado até agora pelo vazamento de óleo no golfo do México.

Clique na imagem para ver melhor

A mancha de óleo de ingleses e americanos

Standard

Você deve estar acompanhando as poucas notícias que saem em português sobre o vazamento de óleo no golfo do México. Se não, aqui vai um pequeno resumo:

No dia 20 de Abril de 2010 uma explosão em uma das plataformas de exploração da Britsh Petroleum (BP para os intimos) matou 11 funcionários e deu início ao maior desastre ecológico da história.

Um vazamento de óleo continuo localizado em águas profundas disperssando aproximadamente 5,5 km cúbicos de petróleo cru diretamente no oceano. Não entre em pâncio ainda.

Não dá para ter noção do que é isso ou de quanto isto está prejudicando nosso planeta. Como sempre, alguém em algum lugar da internet tenta ajudar, se não a solucionar o problema, pelo menos a entender a dimensão dele.

mancha de óleo do golfo do méxico na sua casa

Para tal, foi criado um mapa (google maps) que coloca a mancha de óleo diretamente sobre a sua cidade, assim você pode entender, em dimensões que conhece, o que está acontecendo. Clique aqui e veja o tamanho do estrago.

Os dados para gerar este mapa são computados diariamente com dados de satélite e do serviço equivalente a nossa defesa civil dos EUA.

Me preocupa muio as notícias que indicam que a mancha de óleo deve atingir o oceano atlãntico. Um volume destes poderia alterar a densidade da água do mar exatamente na correia transportadora global. Um conjunto de correntes submarinas que regula a temperatura do planeta e depende da densidade da água do mar nos trópicos e nos polos para manter nosso planeta em equilíbrio térmico.

Agora sim, podemos todos entrar em pânico.

Madeira líquida para substituir plásticos em carros

Standard

Como parte do comprisso da empresa com a redução das emissões de carbono e utilização de materias ecológicamente corretos os laboratórios da Ford Motors na Alemanha estão desenvolvendo um composto orgânico chamado de Madeira Líquida para substituir os plásticos usados em veículos.

Madeira lìquida

O novo processo utiliza restos de madeira ou madeira virgem para produzir um composto ecológicamente correto, bonito, resistente a água e rígido o suficiente para ser utilizado em painéis e partes internas de veículos. Além disso, os estudos preliminares mostram que o composto de madeira líquida pode ser reutilizado em até cinco ciclos de reciclagem, aumentando a vida útil e diminuindo ainda mais o impacto no ambiente.

O material não é novo, o processo de obtenção e utilização é. Até agora essa tecnologia era usada única e exclusivamente para mobiliário de alto luxo para áreas expostas ao clima. O que os laboratórios da Ford criaram é um método mais barato de produzir um material mais adequado as necessidades específicas de veículos.

O cara depijama aplaude esse tipo de composto mas fica com um pé atrás. Quando será que esses laboratórios vão entender que “ecológicamente correto” significa utilizar menos árvores, menos produtos derivados da madeira e não mais.

Notícia Original

Pneus feitos de papel, melhores e mais baratos

Standard

A Universidade Estadual do Oregon, apresentou a comunidade científica um estudo de viabilidade de uma nova tecnologia para a fabricação de pneus.

O  estudo sugere que o uso de microcristais de celulose para substituir a silica usada na fabricação tradicional de pneus pode, além de reduzir a energia do processo de fabricação, aumentar a durabilidade e a eficiência do produto.

Fibras de celulose já foram usadas como reforço em alguns tipos de borracha e em produtos para a industria automotiva, tais quais cintos e material isolante. Contudo, esta é a primeira vez que o material é cogitado como componente na fabricação de pneus.  Os testes iniciais indicaram o mesmo nível de aderência em terreno seco e molhado e maior eficiência no uso de combustíveis alem de maior durabilidade.

Se estes testes se confirmarem em um universo de pesquisa mais amplo a redução de custo, de energia e o aumento da eficiência dos pneus pode ter um impacto significativo na redução da poluição provocada pelo ciclo de fabricação e uso de automóveis.

tires-recycling

O cara depijama acha este estudo muito interessante mas gostaria de ressaltar duas coisas. A primeira é o título original da matéria que, se traduzido, seria Pneus feitos de árvores. O cara depijama se recusa a traduzir este título já que pneu já é feito de árvore :), pelo menos a maioria deles. Segundo, e não menos importante, é preciso destacar que para reduzir o aquecimento global é mais interessante usar menos “árvore” e mais “reciclagem”.

Notícia Original

C,mm,n Um Carro em Hardware Livre

Standard

Comunidade aberta usa conceitos de software livre e de código aberto para projetar um carro elétrico.

cammon

C,mm,n (pronuncia-se kmon) é um projeto com pouca ambição. Eles desejam apenas criar um novo conceito em mobilidade e produção de automóveis, ecologicamente corretos e de forma aberta. Ou seja, ferindo de morte a industria do petróleo e automobilística. Quase nada!

Em 2005 a Netherlands Society for Nature and Environment procurou as universidades holandesas com a proposta de desenvolver um novo conceito de mobilidade sustentável para ser industrializado no ano de 2020. Três universidades aceitaram o desafio: TU Eindhoven, TU Delft and the University of Twente. Com apoio da industria local, em 2007 o conceito foi apresentado em uma feira e nasceu C,mm,n.

O design, projeto, esquemas e métodos de fabricação estão disponíveis e são livremente discutidos sob uma licença aberta ainda nos seus primeiros  estágios, ainda muito complicada mas, já garante modificações, reproduções e fabricação livre. Ou seja, você pode criar sua própria fábrica de carros. Imagino que existam royalties a serem pagas sobre componentes do veículo, tais como as células de combustível, mas não sobre o projeto em si.

cammon2

A idéia é fantástica. Imagine que, em lugar da GM e Volkswagem tenhamos milhares de pequenas industrias espalhadas pelo globo fabricando e vendendo localmente veículos sustentáveis em baixa escala. Se der certo muda apenas toda economia global. Caramba! Como eu gostaria de ainda acreditar no Papai Noel.

Cético ou não, estou dentro!!!! Imagino a distribuição de renda que esse projeto pode provocar, o número de novos empregos, a redução da poluição e do impacto sobre o meio ambiente.

Os conceitos discutidos na comunidade e acrescidos ao projeto vão muito além da simples mudança de combustível. Estão sendo incluídos os conceitos mais modernos de mobilidade, flexibilidade e a mais alta tecnologia. Além disso as universidades estão usando o projeto para testar novas idéias incorporando ítens de seguraça e controle.

Cabem aqui apenas duas observações: Para escolher este nome, com certeza esse pessoal fugiu de certas praças fumacentas de Amsterdan e … só sendo holandes para desenhar um carro que parece um tamanco.

Animais estranhos na Rússia e Japão.

Standard

Dois animais completamente bizarros foram vistos e documentados essa semana. Um na Rússia e outro no Japão.

O Japonês pode ser visto em vídeo. Mas basta olhar essa  foto para ver que a coisa é realmente estranha.

Parece uma espécie de molusco, que vive em colônias e, por alguma razão a colônia acabou chegando a praia.

A reação dos dois japoneses do vídeo parece genuína o que não quer dizer que não seja outra destas armações que vemos todos os dias na internet

O animal Russo parece um trilobit.

Eu vi uma coisa parecida com isso uma vez em um episódio do Discovery Channel mas não sei se é o mesmo bicho.

Notícia origal: Japão e Rússia

Para entender a sujeira que fazemos

Standard

Um grupo de cientistas da Universidade Estadual do Colorado em Purdue  e do Lawrence Berkeley National Laboratory criaram um mapa no Google Earth que mostra as emissões de dióxido de carbono os Eua com dados de 2002. Você vai precisar do plugin do Google Earth.

The other margin
Creative Commons License photo credit: F H Mira

Há, uma simulação melhor Breathing Earth que incluí nascimentos, mortes e emissões de dióxido de cabono de todos os países em tempo real usando dados de 2008 recolhidos em vários órgãos de pesquisa e projetados  em tempo real. Excelente para ver o tamanho da sujeira que estamos fazendo no planeta. Você vai precisar do plugin do Flash instalado no seu browser.