Curso gratuito de programação para o iPhone

Standard

Curso online gratuito da Universidade de Stanford atinge um milhão de downloads em tempo recorde.

Nem o iPhone, nem a Apple estáo entre meus produtos ou empresas preferidos. De fato, apesar da grande simpatia (além da inveja) que tenho pela história de empresa, pela aventura bem suscedida de Jobs & Wozniack, acredito que a Apple seja a empresa mais fechada, em todos os sentidos, do mundo da tecnologia.

Acredito mesmo, que o iPhone não é nem metade do sucesso que eles apregoam mas, ainda assim é um grande sucesso de mercado e,

iPhone
photo credit: William Hook

eu juro que gostaria muito de falhar da mesma forma que a Apple falha. Independente das minhas opções pessoais. O iPhone é uma excelente oportunidade de mercado e negócios para desenvolvedores de software.

A Stanford, dispensa apresentações. Há anos que as faculdades americanas dispinbilizam as suas aulas e material didático gratuitamente na internet. A Stanford, além de celeiro de empresas mulimilhonárias de sucesso, da grande reputação na qualidade de ensino é também pioneira nessa prática de ensino, ciência e conhecimento abertos.

Recentemente começõu um curso de programação para o iPhone e disponibilizou esse curso online gratuitamente. Não poderia ser diferente a maioria dos sites de tecnologia reportam que o curso é um estrondoso sucesso de downloads.

Se quiser entrar na onda do iPhone, sem tirar um rato morto do bolso, a hora é essa. Entre na página do curso online de programação para o iPhone e divirta-se. Tudo que vai precisar é saber inglês.

O Tamanho do Google

Standard

O Google saiu do ar por duas horas. O mundo quase parou.

A Wired publicou uma análise do que aconteceu na internet nos poucos minutos em que, graças a um problema de roteamento o Google saiu do ar.  Eu fiquei sem acesso ao Gmail. greader e search que uso constantemente e culpei meu provedor de acesso.  E você?

O problema de roteamento não é importante. Essas coisas acontecem e só servem para mostrar que não importa quão eficiente ou grade seja a empresa, erros ocorrem.

O chamou minha atenção foi o gráfico publicado pela Wired.

O gráfico em questão, reproduzido neste artigo, foi retirado do serviço Atlas da Arbor Networks que monitora o tráfego na internet em tempo real. Então pare de se estupefar e olhe o gráfico com cuidado.

Observe que a queda se deu justamente na borda de subida da área de maior tráfego diário. Provavelmente acompanhado o dia de trabalho nos EUA. Nesse momento, o tráfego que estava em aprox 15Gbits/s caiu para aproximadamente 1Gbit/s.

A grosso modo podemos inferir que em cada 15Gbits/s que circulam na internet, 14Gbits/s são do, ou para o, Google.

Agora pode ficar estupefato.

Europa multa a Intel em US$1,45 Bilhões

Standard

A comissão européia aplicou uma multa record de US$1,45 bilhões na Intel por violação das leis antimonopólio da Europa.

bunny love (iPhone)
Creative Commons License photo credit: foggydave

Segundo a comissão a Intel pagou aos distribuidores e integradores para não usar chips desenvolvidos pela AMD.

O pagamento teria sido feito na forma de descontos para empresas que tivessem suas linhas de produtos compostas por 95% ou mais de produtos Intel.

Outra violação apontada na multa seria a prática de recompensar o atrazo no lançamento de produtos com chips da AMD.

“A Intel, deliberadamente, prejudicou milhões de consumidores europeus agindo de forma a manter os competidores fora do mercado de chips de comutadores durante mutos anos..” declarou Neelie Kroes da Comissão Européia

Notícia Original

Anúncio de Browser na Televisão

Standard

Há quanto tempo você não vê um anúncio de Browser na Televisão? Aparentemente o pessoal do Google acha que faz muito tempo e foi a guerra.  Segundo o blog oficial o anúncio foi desenvolvido no Japão mas será exibido nessa segunda-feira em todo o EUA.

Atitudes Monopolistas da Microsoft apresentadas a União Européia

Standard

Agência internacional apresenta um paper relacionando as ameaças de violação de patentes feitas pela Microsoft contra o Linux como prova de atitudes monopolistas da Microsoft à comissão da União Européia.  

Microsoft Uma História de comportamento anticompetitivo e danos aos consumidores  em inglês,  conta a história das atitudes bizarras e criminosas praticadas ao longo existência da Microsoft para garantir sua fatia do mercado. Indo desde o Dr.Dos até o OOXml passando por vários pontos negros da história comercial da empresa. 

 

Digging It
Creative Commons License photo credit: jurvetson

A ECIS (European Committee for Interoperable Systems) é uma associação internacional cujo objetivo é representar seus membros em questões relacionadas a interoperabilidade e competição junto a Comunidade Européia e a WIPO (Organização Mundial de Propriedade Intelectual).

A notícia original (link no fim da matéria) é rica em detalhes e comentários, infelizmente todos em inglês, e inclue o relatório completo em formato html.

Notícia Original

IBM, SUN e o novo mercado

Standard

Recentemente centenas de sites de tecnologia ao redor do globo noticiaram que a IBM está em franco processo de aquisição e pretende comprar a SUN. As notícias falam de valores  ao redor de 7 bilhões de dólares. Uma pechincha, principamente depois que a SUN começou a enxugar seus custos demitindo milhares de pessoas.

A SUN detém um dos mais abrangentes e valorizados portfólios em termos de plataforma de desenvolvimento (JAVA), a única suíte de escritório com chances de fazer frente ao Microsoft Office (o OpenOffice) e o banco de dados mais utilizado da Internet (o MySql).  Além, do Solaris e de toda tecnologia por trás dele que não é pouca coisa. O Solaris não é o servidor mais usado no planeta simplesmente por que a SUN perdeu feio o bonde do software livre e de código aberto, ainda não conseguir reverter o estrago que o Linux fez no mercado de servidores UNIX e péssima em marketing. Aliás essa parece ser uma característica das empresas de Software Livre.

Por outro lado a IBM se move como um paquiderme. Gigantesca, essencialmente eficiente, direcionada e competente. A gigante azul tem condições de manter e ampliar a base de usuários dos sistemas da SUN e, com um pouco de sorte, adicionar mais valor de mercado aos produtos de software livre e código aberto. O que a IBM não tem é agilidade e agressividade. Coisas da idade ficamos velhos, sábios, eficiêntes e lentos.

Também recentemente a administração Obama colocou o Google na berlinda dizendo, para quem quisesse ouvir que a empresa monopolista que precisa de atenção especial do estado não é a Microsoft é o Google.  Se considerarmos que todos os nossos dados, todas as nossas informações está migrando para um mesmo ponto na rede e que esse ponto é uma empresa privada acabamos por concordar com ele. Concordando ou não, uma declaração destas afeta o mercado. O que esses gigantes do mercado temem não é a concorrência são as leis anti-trust dos EUA e Europa.

No Microsoft, Please
Creative Commons License photo credit: Steve Keys

Lendo essas notícias percebo como a crise econômica mudou o mercado e a forma de pensar dos executivos agora eles demitem os empregados, enxugam as empresas e vendem os ativos para empresas maiores. Não lembre em nada os anos noventa, oitenta, setenta, sessenta… do século passado. Como é bom viver nesse mundo novo!

Lista de observações do Sr. Ballmer: O Google é o monopólio que preocupa o governo. A IBM vai comprar a SUN.  Hummm…, acho que vou comprar a Novell.

Jonathan Schwartz explica a Sun

Standard

Em um inédito video blog, Jonathan Schwartz o todo poderoso CEO da Sun explica a estratégia da empresa em três grandes grupos.

Além do vídeo a seguir, você pode encontrar o mesmo texto no blog do Sr. Schwartz ambos em inglês.

Em linhas gerais, o que ele diz que para entender a Sun, além de suas fontes de renda precisamos entender sua visão de mundo e sua estratégia. Dividindo essa estratégia em três grandes grupos:

1. Recrutar cada desenvolvedor do planeta para usar os softwares e serviços da Sun

2. Fornecer as soluções mais irresistíveis do mercado

3. Executar os serviços/vendas mais eficientes do mundo.

Segundo o Sr. Schwartz a estratégia um é puramente estratégica e eles não pretendem obter lucros se todos os programadores do mundo estiverem ujsando produtos da Sun.  Aqui podemos entender que o Java e outras ferramentas de programação e desenvolvimento  desenvolvidas pela empresa vão acabar todas em software livre e de código aberto? E outra, se todos os programadores usarem produtos da Sun isso vai provocar um lucro imenso para a empresa, ainda que não venda uma única linha de código para desenvolvimento.

Explicando o número dois ele diz que a Sun foca nos clientes que valorizam o suporte, clientes para os quais perda de produtividade ou de produção não tem preço. Clientes que preferem pagar suporte para não correr o risco de ter sua produção interrompida. Segundo ele mesmo, uma faixa pequena mais lucrativa do mercado. Faz todo sentido do mundo.

A terceira é óbvia, sonho de todas as empresas.

Mas afinal o que diabos foi essa postagem?

Não foi para mim, nem para você, nem para os funcionários da Sun. Essa postagem foi diretamente enviada para os investidores de Wall Street  pessoas que estão vendo o valor da empresa despencar e que, se não acreditarem no futuro da empresa vão continuar vendendo.

Microsoft X Tom Tom: Jim Zemlin se pronuncia: Acalmem-se

Standard

Em um post em seu blog, Jim Zemlin, o atual diretor executivo da Linux Fundation conclama a todos que tenham calma, esperem pelo melhor e informa que a Linux Fundation planeja para o pior.

Tux and gnu love story
Creative Commons License photo credit: Francois Schnell

O artigo é direto e simples, como é seu estilo. Lembra que por enquanto a ação é direcionada para uma empresa e que não atinge o Linux propriamente dito:

De fato, Horacio Gutierrez, vice presidente da Microsoft e interino no conselho de propriedade intelecutal e licenciamento disse, especificamente que o processo não é relacionado ao Linux.

Além disso, Zemlin afirma que a Linux Fundation tem recursos suficientes e está preparada para enfrentar qualquer situação de disputa de patentes.

Você pode saber mais sobre isso lendo:

Microsoft abre processo por violação de patentes. Três relacionadas ao Linux

Microsoft X Tom Tom: As patente

Microsoft X Tom Tom: Tom Tom se defende


Microsoft X Tom Tom: Tom Tom se defende

Standard

A companhia holandesa de navegação Tom Tom rejeitou hoje, quinta-feira, todas as alegações de violação de patentes da Microsoft.

No software patents
 photo credit: Phillie Casablanca

Como você viu aqui e aqui, a Microsoft entrou com um processo por violação de patentes contra a empresa Tom Tom, fabricante de sistemas de navegação assistida para veículos.

Nessa quinta-feira o sr.  Taco Titulare  porta-voz da emprea informou a jornalistas financeiros que a a Tom Tom rejeita todas as acusações feitas pela Microsoft e disse que a empresa irá “defender-se vigorosamente” .

Infelizmente faltou dizer como. De qualquer forma é exatamente isso que eu queria ver. As patentes sendo jogadas em um longo litígio que, de preferência, termine forçando uma posição das cortes superiores americanas ou, pelo menos traga o assunto a baila.

Notícia Original

Microsoft X Tom Tom: As patentes

Standard

Como noticiado anteriormente, depois de anos de ameaças a Microsoft entrou com um processo por violação de patentes que inclui algumas patentes relacionadas ao kernel Linux.

Steve
Creative Commons License photo credit: Rain Rannu

O caso deu entrada na corte de Seattle hoje, vinte e cinco de fevereiro de 2009.

Três das supostas violações dizem respeito ao sistema de arquivos que os dispositivos da Tom Tom usam e podem ser diretamente ligados ao Linux.

O pessoal do Techdirt publicou uma lista da patentes em questão

As três últimas, referentes a nomes de arquivos (duas patentes diferentes com o mesmo nome) e o uso de sistemas de arquivo em dispositivos flash e ROM são responsáveis por todo o furor que atingiu a internet nesse fim de noite.

Se você se der ao trabalho de ler as patentes, ou pelo menos os “claims”, verá que todas as patentees são muito abrangentes e dão margem a um grande número de interpretações. O que se está expeculando por toda a internet é se essas três fazem parte das 200 patentes que, segundo a Microsoft, o Linux viola.

Se a Tom Tom não acertar um acordo logo nas primeiras instâncias teremos a oportunidade de ver como essas patentes se sustentam a frente de um tribunal de justiça.