Nasa envia missão ao… Plone

Standard

Alem do site oficial, do Nasa Kids e da Nasa TV  que por si só já enchem qualquer domingo chuvoso de ciência e diversão com a família. A agência espacial americana resolveu lançar mais um site de informações sobre ciência.

pedaço da tela do site novo da nasaDessa vez voltado para informações e pesquisa cientifica o Nasa Science  com informações para estudantes, pesquisadores e curiosos de fim de semana o site foi criado usando o Plone em uma combinação de flash e técnicas de dhtml capazes de dar inveja e muitos designers profissionais.

O site é novo e ainda apresenta alguns problemas menores. Mas, a navegabilidade está excelente e já é possível encontrar dados e notícias sobre os vários assuntos cobertos pela Nasa.

Vale a visita. Infelizmente só em inglês.

Mexicanos lançam concreto transparente

Standard

Novo concreto pesa até 30% menos, é até 15 vezes mais resistente e é transparente.

Pronto! Não precisa reclamar, eu sei que não é concreto, propriamente dito, mas como a notícia original começou com essa analogia e o único site que encontrei com alguma informação oficial sobre o produto também faz essa analogia, resolvi manter assim.

foto do concreto transparente na mão do pesquisadorA notícia original, mais pobre do que o costume, provocou uma pequena pesquisa para descobrir do que realmente se trata essa nova maravilha da arquitetura vinda de terras de Montezuma.

Sergio Galván Cázares y Joel Sosa Gutiérrez, dois ex alunos da Universidad Autónoma Metropolitana (UAM), que em dezembro de 2006 ficaram em terceiro lugar em um concurso de inovação em tecnologia de concreto estão prontos para ir a luta e comercializar seu produto.

Os dados que faltaram na matéria original encontrei no link do concurso. Dando conta que o “concreto” foi fabricado com cimento, agua, areia, obsidiana e o aditivo Critum. Esse último sendo o segredo industrial a ser compartilhado com futuros parceiros de fabricação.

As qualidades físicas apregoadas são dignas de nota: Resistente até 250 mega pascais, contra aproximadamente 25-35 mega pascais dos concretos tradicionais. Com peso médio 30% menor que o concreto convencional.

Aqui só tenho uma observação a fazer: Se for verdade é a oitava maravilha do mundo!

Mesmo que não seja tudo isso a característica translúcida do material o torna uma excelente opção para fachadas e para reduzir o uso de iluminação artificial. O mais interessante de tudo é que, segundo as duas fontes, o maquinário necessário a fabricação desse novo material é o mesmo usado para fabricação do concreto tradicional.

O que faltou na matéria e não consegui encontrar com precisão foi um comparativo de preço. Gostaria muito de ver o custo desse material contra o vidro, tijolos de vidro, concreto tradicional e outros materiais.

Google App Engine: O Google quer que você fique milhonário

Standard

Google lança infraestrutura gratuita para a criação de aplicativos web usando a infraestrutura do próprio Google de graça. Ambiente ideal para começar um novo negócio sem limitações de banda e recursos e sem ter que meter a mão no bolso. Mas não agora.

O Google App Engine é um, para simplificar, serviço de host onde você vai poder rodar seus aplicativos sobre a infraestrutura do próprio Google. Curiosamente, em nenhum lugar da documentação eu vi a palavra host.

A idéia é dar ao desenvolvedor acesso as tecnologias do Google, sem custos, até um determinado tamanho de aplicação. 500 Mbytes de persistência e 5 milhões de pageviews por mês. Para, por enquanto, rodar seus aplicativos Python. Já existem boatos dizendo que outras linguagens serão liberadas em breve. E que existem grandes chances que esses níveis de serviço continuem gratuitos mesmo depois do fim do período de teste em modo beta.

Não entendeu ainda? Colocando em miúdos o Google lançou um serviço de host para seu site, de graça, que dá acesso a toda tecnologia de busca, armazenamento, banco de dados, computação em paralelo etc.. etc.. deles. TUDO QUE VOCÊ PRECISA AGORA É UMA BOA IDÉIA.

Eu sei… eu sei… esse serviço está na categoria “cloud”. Concorre com o serviço da Amazon etc.. etc… etc… Mas é host mesmo. Chic. Mas host.

Bem, não está exatamente disponível. Pelo menos não agora.

O Serviço foi lançado para apenas 10000 desenvolvedores em versão beta. Mas você pode se inscrever e ficar esperando sua chance ou baixar o SDK e a documentação e começar a trabalhar já. Ou você acha que vai encontrar moleza maior em algum outro lugar?

Uma última palavra: Se você tem um serviço de host de páginas web, essa é uma boa hora para vender.

Microsoft + Yahoo!: Jerry Yang no País das Maravilhas

Standard

Jerry Yang and David Filo, the founders of Yahoo!Image from WikipediaJá faz algum tempo que nada de novo balançava o reino do Yahoo!. Nas últimas semanas tudo que vimos foi uma sucessão de boatos sem fundamento e nenhuma ação. Na sexta-feira, próxima passada o processo de negociação voltou a mídia com os grandes jornais noticiando os novos movimentos dos contendores. Hoje, Jerry Yang está vencendo.

Desde meu último artigo sobre esse assunto, o Sr. Yang entrou pelo buraco da fechadura, tomou chá com o chapeleiro louco e voltou triunfante.

No dia dezoito de março passado a imprensa mundial relatou, a exaustão o plano de recuperação do Yahoo! a idéia geral é aumentar em 73% o faturamento, focando em anúncios, mobilidade e um algoritmos de buscas melhor.

Foi nesse momento que o Sr. Yang foi para o País das Maravilhas.

Eu me dei ao trabalho, na época, de olhar frame por frame da apresentação e ler tudo que os analistas internacionais disseram sobre o plano e, modestamente, acho que eles deveriam ler um pouco da história do futebol brasileiro.

Diz a lenda, que um certo dia um dos treinadores passou uma hora explicando detalhadamente tudo que o time do Botafogo teria que fazer para vencer um determinado adversário. Fulano pela esquerda, Siclano pela direita, cruzamento no Garrincha e gol. No final ele voltou-se para o Garrincha e perguntou: E aí? Entendeu? O Garrincha com sua simplicidade respondeu: Claro! Mas quem vai avisar o outro time como ele deve jogar?

Claramente a divulgação desse plano, em março, era um ato de desespero, a preleção de uma partida de um time só. Não para a mídia, mas para os acionistas majoritários. Então a Microsoft já havia contratado uma empresa para tomada da empresa. Ou, pelo menos era isso que a Microsoft queria que todos acreditássemos, conselho do Yahoo! incluído nesse todos.

O plano, em si, parece que foi realizado para uma demonstração acadêmica. Corretíssimo, bem estruturado, coerente. Só faltam ali os últimos seis anos de decadência, onde essa mesma estratégia levou o Yahoo! a ver suas ações depreciadas enquanto os concorrentes iam ganhando mercado.

Dizer que o foco em anúncios online, mobilidade e melhor algoritmo de busca vai aumentar o faturamento da empresa é a mesma coisa que dizer que se a seleção brasileira jogar bem ganha a copa. O melhor exemplo dos últimos meses do verdadeiro óbvio ululante.

Até aqui Sr, Yang estava tomando chá com a Rainha de Copas e o Chapeleiro Louco, enquanto esperava ansiosamente a chegada de Alice.

O estranho é que funcionou. Esse plano de recuperação de faturamento e a estratégia de soltar todos os serviços possíveis enquanto ganha tempo funcionou. Deve ter convencido algum acionista chave.


Creative Commons License photo credit: DBegley

No último final de semana assistimos: uma reunião da Microsoft com o Conselho do Yahoo! e a divulgação de uma carta da Microsoft dando um ultimato. Ou vende em três samanas ou eu vou para a tomada hostil.

Que feio Sr. Ballmer! Muito feio!

A carta, além de desnecessária é repetitiva. Essa tomada hostil já não tinha começado em fevereiro? Não foi isso que o serviço de relações públicas da Microsoft deixou escapar?

Não? Então naquela época em que se falava da contratação de uma empresa para uma guerra por procurador era só brincadeirinha?

Entendi! O Sr. Yang não tinha entendido da primeira vez, então o Sr. Ballmer resolveu ser mais… Como direi? Enfático.

Foi aí que o chá acabou e o Sr. Yang voltou triunfal.

Até ver essa carta da Microsoft tinha certeza que o jogo já estava decidido. Vã inocência! O Sr. Yang virou o jogo e nem eu, nem a mídia internacional notamos que isso poderia acontecer.

Se a compra hostil já havia começado a carta da Microsoft seria desnecessária. Se vai começar, a carta é desnecessária. A única razão que vejo para essa carta é convencer algum acionista chave que a compra pela Microsoft ainda é a melhor opção para o Yahoo!.

Se for esse o caso, o tiro saiu pela culatra. A carta da Microsoft conta mais pontos para o Sr. Yang que para o Sr. Ballmer. Em um momento destes, leva vantagem que parece mais zen.

Mas a coisa não para aí.

O Yahoo! respondeu. Calma e tranqüilamente. Não falando nada de novo e reafirmado que não tem nada contra a venda, apenas acredita que o preço fixado pela Microsoft é ridículo.

Certo! Eles não falam com essas palavras cruas e despidas de sutileza, mas é isso que eles estão dizendo. Aliás, diga-se de passagem que eles estão dizendo isso desde o começo.

Como eu acredito que do lado da Microsoft existem tantos analistas de negócios quanto do lado do Yahoo! e que a competência dos dois lados deve ser muito próxima, se não a mesma.

Sou forçado a acreditar que a Microsoft desistiu e está jogando para a platéia (seus próprios acionistas) em busca de uma saída menos vexaminosa. Já que deixou vazar, diversas vezes, que não vai rever o valor oferecido. Essas coisas não vazam para eu ver, vazam para os acionistas verem.

Se for esse o caso, o erro foi do próprio Ballmer. Como diria meu velho pai: Cobra não se mata de susto. Ou dá uma paulada ou corre.

Ou o Sr. Ballmer não tem um pau suficiente para matar essa cobra e quer que acreditemos que tem ou descobriu que a cobra tem a cabeça mais dura do que se esperava.

Em qualquer um dos casos o papel que a Microsoft está fazendo perante seus acionistas não está nem perto do satisfatório.

Depois que a oferta foi feita, a Microsoft já perdeu em valor de mercado, mais ou menos o mesmo tanto que ofereceu pelo Yahoo!. Se eu tivesse ações da Microsoft não estaria nada satisfeito com isso. Mesmo que eu acreditasse na compra como uma boa opção para valorizar meu investimento a essa altura do campeonato já estaria considerando a venda das minhas ações.

gráfico das ações do yahoo

 

gráfico das ações da microsoft

Decididamente o segundo tempo desse jogo vai valer o ingresso. Só para ficar com a metáfora inicial. 🙂

Nova tecnologia, pouco tamanho e muita luz

Standard

A Luxium está divulgado uma nova lâmpada, do tamanho de uma cápsula de antibiótico capaz de gerar tanta luz quanto uma lâmpada de rua. Destas que vemos em postes.

A pequena lâmpada que funciona por indução é cheia de argônio e de um filamento que quando energizado produz um plasma luminoso com temperatura de cor próxima da do sol.

A pequena lâmpada é capaz de produzir 140 lumens por watt, o dobro dos melhores leds e quase 10 vezes mais que uma lâmpada convencional.

Contudo, olhando a demonstração fiquei com impressão que estava voltando aos meus tempos de escola técnica.

Naquele tempo, dizíamos que seria simples fazer um rádio transistorizado de bolso, capaz de falar com a china em qualquer hora do dia.

O problema seria andar com a bateria de caminhão nas costas.

De uma olhada no tamanho da traquitana necessária para fazer a coisa acender.

Notícia Original

O Estado da Arte da Energia Solar

Standard

O Sol é o maior gerador de energia ao alcance da raça humana neste dado momento histórico. Mesmo assim, ainda é uma das fontes de energia menos explorada. Essa série de artigos vai analisar e discutir os avanços mais recentes nas pesquisas para o uso da energia solar.

Não será uma série curta, já escrevi 10 artigos e, provavelmente ainda vá escrever mais um ou dois. Durantes os próximos dias úteis, aqueles que assinarem meu serviço RSS lerão esses artigos diariamente, os outros, se estiverem interessados deverão esperar que esses artigos estejam disponíveis aqui no DePijama, o que deve ocorrer ao longo do mês de junho.

Primeira Parte: O tamanho da fornalha.

Orbitando na periferia da via láctea, nosso sol é uma estrela modesta, branca e com seus 4,37 bilhões de anos, uma estrela que está entrando na meia idade. Já não tem o brilho da juventude mais ainda está longe da vermelhidão da velhice.

Localizado a pouco menos de 150 milhões de quilômetros de distância de Curitiba, o Sol retém aproximadamente 99.8% de toda massa do sistema solar. Em escala astronômica, 150 milhões de quilômetros é o que poderíamos chamar de logo ali. Mesmo assim, quando você chega à praia e recebe sua dose anual de fótons, na vã tentativa de ficar moreno e não vermelho, os ditos fótons saíram do Sol há aproximadamente 8 minutos e 22 segundos antes de chegar a sua pele.

Com uma temperatura superficial da ordem de 5780º Kelvin, nosso astro rei emite uma luz branca azulada que, quando vista da superfície da Terra fica amarelada devido as características peculiares da nossa atmosfera.

Composto basicamente de hidrogênio, o Sol é um gerador de fusão nuclear movido pelo seu próprio tamanho, perpetuamente fundindo quatro prótons em um núcleo de hélio e liberando a bagatela de 26,7 MeV nesse processo. Para, em seguida, fundir o hélio em elementos mais pesados, liberando mais energia. O interessante é que esse processo ocorre apenas no centro do Sol, onde a alta temperatura e a força de gravidade criam as condições ideais para que os prótons vençam as forças eletromagnéticas e se fundam.

De toda energia liberada pelo Sol apenas 89.000Tw chegam a superfície da Terra.

Tudo bem! Não se preocupe! O número é grande mesmo. Deixe-me tentar novamente:

De toda energia liberada pelo Sol, apenas oitenta e nove mil trilhões de watts chegam a terra. Deu para entender?

Esses números grandes são complicados vamos colocar isso em escala. Que tal se eu dividir pelo consumo de uma televisão? Ainda assim o número seria muito grande. Que tal todo o consumo dos Estados Unidos? Não, o número ainda é muito grande. Já sei!

É energia equivalente a 6000 vezes todo o consumo de energia do planeta Terra. Dou-lhe uma, dou-lhe duas… Dou-lhe seis mil vezes tudo que consumimos no planeta. Eu falei aproximadamente? Não? Então falo agora: aproximadamente.

Essa energia é o principal responsável pela produção dos ventos, correntes marinhas, aquecimento do planeta, crescimento das plantas, a marca do biquíni da sua namorada, etc.. etc..

Lendo o último parágrafo você percebeu que a tal da energia eólica é, em última instância, uma forma de energia solar? E os geradores de energia a partir das correntes marinhas? Solar. Hidrelétricas? Solar. Os puristas dirão que estou forçando a barra. E estou mesmo. A intenção é fazer você perceber a importância da energia solar na nossa vida diária e já começar a ver como essa importância vai ficar maior.

Vou escrever de novo, só para deixar claro: 89 mil trilhões de watts.

Esses números estão na Wikipedia. Mas, se você não confiar na Wikipedia pode comprar este livro. que trás um estudo detalhado das energias renováveis, incluindo o sol. Ou pode baixar este estudo da Agência internacional de Energia, converter todas as fontes de energia para a mesma unidade e depois verificar os cálculos. Só não esqueça que a energia proveniente do sol está disponível todo tempo e o tempo todo.

Eu, aqui do meu cantinho da internet, fico com a Wikipedia até por que o mais importante nesse caso não é a precisão é a proporção.

Se avaliarmos o crescimento do consumo de energia do planeta nos últimos cinqüenta anos e se tomarmos os anos de 2004 e 2030 como ponto de partida e chegada em nossos cálculos e ainda, acreditarmos nas previsões do órgão oficial de estatísticas de energia dos EUA, Podemos afirmar que até 2030 o consumo de energia do planeta deverá crescer 57%, para níveis próximos de 24Tw. No pico de consumo, em 2030, o Sol ainda fornecerá, sozinho, por baixo, quatro mil vezes a energia que precisaremos para manter o planeta.


 photo credit: Pink Dispatcher

Contudo, existem alguns problemas. A Terra teima em continuar girando em torno do próprio eixo e em torno do sol, o que faz com que a insolação não seja constante; ainda há o formato do planeta que faz com que a distribuição não seja uniforme; dias de chuvas e nuvens e sobras diversas que fazem com que o suprimento de energia não seja constante.
O objetivo hoje é tornar esse fornecimento estável, uniforme e barato.

Nessa série você verá as novas tecnologias, desde o uso de tintas especiais até avanços em nano tecnologia. Mas também verá como usar o sol a seu favor para diminuir a conta de luz, refrescar ou aquecer sua casa com soluções tão simples quanto pintar uma parede.

Se quiser continuar lendo, assine o serviço RSS, os próximos artigos serão publicados durante essa semana e a próxima, mas só no RSS

Fotos do ônibus espacial

Standard

Fotos da montagem dos tanques de combustível e da colocação do Space Shuttle Discovery no lugar para o lançamento.

Recebi o link em uma mensagem de e-mail de um amigo que acompanha um forum da BMW e poucos minutos depois vi a mesma notícia aqui.

Cique na foto a seguir para ir direto as fotos.

técnica montando os queimadores

Em outro artigo. Caramba eu tenho um amigo que acompanha o Forum da BMW!

O Mono continua Mono

Standard

Ontem, postei um artigo sobre a troca do nome do projeto mono. O próprio Sr. Icaza me corrigiu informando que o artigo que eu citara não passava de uma brincadeira de mal gosto de primeiro de abril. Na qual, eu vergonhosamente caí.

Já fiz a correção do artigo. Mas, como muitos de vocês acompanham o DePijama via RSS. Aqui está a correção e meu pedido de desculpas.

A macaquice continua.